Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Maria José de Queiroz Home > Autores > Maria José de Queiroz

MARIA DE JOSÉ QUEIROZ Maria José de Queiroz nasceu em Belo Horizonte, é doutora em Letras Neolatinas pala Universidade Federal de Minas Gerais. Aos 26 anos, tornou-se a mais jovem catedrática do país e, por concurso, sucedeu o professor Eduardo Frieiro na UFMG. Como convidada, tem uma longa careira em importantes universidades americanas e européias: Indiana, Harvard, Berkeley, Sorbonne, Lille, Bordeaux, Aix-en-Provence, Bonn, Colônia. Em 1953 começou a colaborar em jornais de Minas Gerais e hoje escreve para mais de uma dúzia de periódicos, inclusive o francês Le Monde. Em 1961, publicou o primeiro de seus onze ensaios sobre literatura, e em 1973 fez sua estréia como ficcionista. É autora de Joaquina, filha de Tiradentes, Como me contaram, Ano novo, vida nova, Homem de sete partidas, entre outros romances e obras poéticas. Recebeu prêmios da Academia Brasileira de Letras, do Estado de Minas Gerais, do Pen Clube e da UBE. Metade do ano na Europa, onde leciona e faz pesquisas na Biblioteca Nacional da França — e a outra metade entre o Rio de Janeiro e Belo Horizonte, a prestigiada ensaísta Maria José de Queiroz já lançou três livros. Em 1981, publicou Homem de sete partidas, história de um belo-horizontino rebelde que foge do marasmo e da mediocridade, descobre a Europa, retorna aos trópicos e acaba enriquecendo na Colômbia dos anos 30. Neste romance, Maria José cria um personagem secundário, o misterioso príncipe de Olsztyn chamado Vladimir Olov que, para surpresa da autora, desperta a curiosidade de um leitor, que lhe manda uma carta pedindo informações atualizadas sobre seu tio-avô. Além do pedido, algumas correções relacionadas a fatos e ao nome, Olof com efe. Pesquisas são solicitadas e as respostas, encontradas: o príncipe Olsztyn existiu e viveu na Argentina, na Colômbia e muito provavelmente no Brasil. Depois de se deparar com tantas peculiaridades sobre o personagem, Maria José de Queiroz escreveu o livro Vladslav Ostrov, príncipe do Juruena, lançado em 1997, logo após o livro Amor cruel, amor vingador, onde a autora reuniu histórias que revelam a faceta perversa do amor. BIBLIOGRAFIA: Vladslav Ostrov, príncipe do Juruena – 1997 Amor cruel, amor vingador – 1997 Homem de sete partidas – 1999



Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais