Gêneros
Administração
Artes
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Tabajara Ruas Home > Autores > Tabajara Ruas

Gaúcho, 57 anos, nascido em Uruguaiana no dia 11 de agosto de 1942, Tabajara Ruas é considerado um dos dez maiores romancistas da literatura sul-riograndense. Apesar de ser formado em arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Tabajara trabalha como publicitário, além de ser escritor e de estar ligado à produção cinematográfica desde 1978, tendo exercido nessa área várias funções, desde a de roteirista até a de diretor. Em 1966, o jovem universitário Ruas, recém-chegado à capital, engajou-se em movimentos políticos que lutavam contra a ditadura. Este envolvimento fez com que Tabajara deixasse o país, para que não terminasse preso como muitos de seus amigos. Assim começou a peregrinação de Ruas pelo mundo. Entre 1971 e 1981, morou no Uruguai, Chile, Argentina, Dinamarca (onde estudou cinema e arquitetura), São Tomé, Príncipe e Portugal. Durante o exílio, Tabajara Ruas escreveu A região submersa, seu romance de estréia, que foi publicado primeiramente na Dinamarca e em Portugal. Somente em março de 2000, o livro chegou ao Brasil, através da Coleção Negra — dedicada aos romances noir e policiais. No exterior, Tabajara também publicou os romances Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez (Colômbia e Uruguai), Netto perde sua alma, O fascínio, A cabeça de Gumercindo Saraiva (Uruguai), El cerco (Uruguai) e Fronteira (Chile). Além de literatura, Ruas já escreveu peças de teatro e fez traduções Atuando no cinema desde 1978, Tabajara Ruas participou dos longas-metragens Netto perde sua alma (2000), como roteirista, produtor e diretor, junto com Beto Souza; escreveu o roteiro de Kilas, o mau da fita, de José Fonseca e Costa (1978); foi assistente de direção no filme Um s marginal, de José Caetano (1978); foi o responsável pelo roteiro final de Anahy de las missiones, de Sérgio Silva (1997); escreveu o roteiro de Concerto campestre, de Henrique de Freitas Lima (2000) e de Oeste, de Chico Faganello (2000). É autor do roteiro da minissérie Garibaldi in America (Laz Produções/1998) e do roteiro de longa Perseguição (com Ligia Walper), premiado pelo Ministério da Cultura. Em curtas-metragens, fez os roteiros de Paulo e Ana Luíza em Porto Alegre, de Rogerio Ferrari (1998); Manhã, de Zeca Pires (1989); escreveu o argumento de O dia em que Dorival encarou a guarda, de José P. Goulart e Jorge Furtado (1987) e de Duelo, de Jaime Lerner (1998). Atualmente Tabajara Ruas vive entre Florianópolis e Porto Alegre. Está finalizando o longa Netto perde sua alma e preparando novos projetos. BIBLIOGRAFIA A cabeça de Gumercindo Saraiva - 1997 O fascínio - 1997 O amor de Pedro por João - 1998 A região submersa - 2000



A trilha da lua cheia (Vol. 2)
Nei Duclós, Tabajara Ruas
R$ 54,90

Os varões assinalados
Tabajara Ruas
R$ 84,90

ver todos os livros

Biografia de Gregório de Matos publicada pela Record vence prêmio da ABL
15/07/2015
Saiba mais

Por questões de segurança, Roberto Saviano cancela participação na Flip
Saiba mais

Sucesso no gênero jovem adulto, Gayle Forman lançará seu primeiro livro adulto pela Record.
Saiba mais

Record é 1ª a adquirir os direitos do romance de estreia de Gayle Forman na literatura adulta
15/06/2015
Saiba mais