Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Ensaio/ Teoria literária Home > Ensaio/ Teoria literária > Ter e manter: Uma história íntima de colecionadores e coleções
Ter e manter: Uma história íntima de colecionadores e coleções
Autor: Philipp Blom
Título Original: To have and to hold
Tradutor: Berilo Vargas
EAN: 9788501066220
Gênero: Ensaio/ Teoria literária
Páginas: 308
Formato: 14 x 21 cm
Editora: Record
Preço: R$ 69,90
   

O que leva alguém a gastar dinheiro e tempo para adquirir selos, borboletas, bonecas antigas, livros raros, e colocá-los num álbum, numa vitrine, numa estante ou num armário? O que está por trás da necessidade de possuir e manter objetos? Por que não é suficiente admirá-los? Passatempo com contornos de obsessão, colecionar é um hobby que nos aponta, além de aspectos históricos, fenômenos existenciais e psicológicos. Colecionar pode ser uma luta contra o esquecimento ou a morte, assumindo características de uma tarefa bíblica, como a de Noé ao evitar o desaparecimento dos animais ou um complexo de Casanova, sempre fixado na próxima conquista?

Freud — um grande colecionador — sondou esta compulsão investigando motivações para agrupar pedras, folhas ou conchinhas na infância e chegar às antiguidades e tesouros mantidos por reis e governos. Ter e manter explora a história das coleções desde os caçadores de relíquias medievais, das curiosidades de Sir Hans Sloane — embrião do Museu Britânico — aos aficionados pela memorabilia de celebridades do cinema e da música pop, e aborda o fascínio do kitsch. Assim, Phillip Blom revela uma paixão mais ligada às nossas necessidades primais do que supomos.

O autor traça a história das coleções renascentistas, expõe universos múltiplos, repletos de excentricidades: os gabinetes científicos do século XV; as coleções de arte de Filipe II; os tesouros do imperador Rodolfo II, que atulhavam cômodos e demandavam a construção de palácios em Praga; Pedro, o Grande, da Rússia, que colecionava de tudo, incluindo dentes humanos; estrategistas como Napoleão Bonaparte, cujas conquistas capazes de abastecer museus parisienses evidenciam o impulso imperialista de construir acervos. Este empreendimento, coroado pelos ingleses, sedimentou a cultura museológica  européia e foi adaptado modernamente por magnatas americanos como John Peirpont Morgan, William Randolph Hearst (inspirador do filme Cidadão Kane), John D. Rockefeller e Paul Getty.

Ter e manter avalia o impacto da Revolução Industrial sobre o hábito de colecionar, já que tornou ainda mais raros os objetos artísticos, mas abriu caminhos ao colecionador comum, adepto de itens como postais, brinquedos, relógios, discos, caixas de fósforos. Phillip Blom enreda-nos na construção desses santuários de diversos passados, fugas do presente, preservação da saudade e da esperança. Faz-nos ver cada coleção como “um teatro de memória, uma dramatização e uma mis-en-scène de passados pessoais e coletivos, de uma infância relembrada e da lembrança após a morte”. Seria mais do que uma presença simbólica: uma transubstanciação: “Salvar o mundo, ou um mundo, preservar a história ou o gênio, santidade ou inocência, tocando algo além da nossa existência, é um trabalho amoroso, um constante ritual, uma face do desejo de ser autêntico, de ser humano.”

Philipp Blom

Phillip Blom nasceu em Hamburgo em 1970. Depois de estudar em ...



A definição da arte
Umberto Eco
R$ 59,90

Como conversar com um fascista
Marcia Tiburi
R$ 49,90

Paisagem brasileira
Lya Luft
R$ 44,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais