Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
História Home > História > Repensando o Brasil do Oitocentos
Repensando o Brasil do Oitocentos
Autor: Jose Murilo de Carvalho, Lúcia Maria Bastos Pereira das Neves
EAN: 9788520009178
Gênero: História
Páginas: 602
Formato: 16 x 23 cm
Editora: Civilização Brasileira
Preço: R$ 94,90
   

Cidadania e Nação em debate

Os dois conceitos são estudados sob vários pontos de vista no livro organizado por José Murilo de Carvalho

A construção dos conceitos de cidadania e nação no Brasil do século XIX são analisados em Repensando o Brasil do Oitocentos, organizado por José Murilo de Carvalho e Lúcia Bastos Pereira das Neves. O livro é resultado dos estudos de um grupo de historiadores de universidades do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Há mais de cinco anos, os estudiosos dedicam-se ao tema e trazem novas fontes de análise e interpretação para o debate.

 Os historiadores mostram o importante papel de agentes como imprensa e movimentos culturais na formação dos conceitos de nação e cidadania no Brasil.

A publicação levanta questões inéditas sobre a construção da nação e da cidadania no século XIX. No estudo, a cultura tem um papel fundamental no processo, assim como a imprensa. Os historiadores procuraram ampliar as fontes de pesquisa sobre os dois temas.

O livro mostra como o espaço político também é lugar para as manifestações artísticas, que são fundamentais para a criação das identidades nacionais e étnicas. As práticas e os valores sociais foram amplamente abordados.

Os historiadores concluíram que o conceito de cidadania foi imposto à população. A ação do Estado foi vista como uma interferência no modo de vida das pessoas. Porém, de acordo com o estudo, os movimentos de resistência não devem ser entendidos como um repúdio às novidades, mas sim uma afirmação de seus direitos.

A imprensa foi um agente fundamental na sociedade brasileira da época. A cidadania e a própria nação emergente foram fortemente influenciados pelos escritos da época. A História do  Brasil-Império foi moldada e hoje pode ser entendida pelos escritos da época.
 
A escravidão e a idéia de liberdade também são abordadas no livro, assim como a realidade de política de países da América Hispânica do século XIX. A guerra é outra fonte que leva ao entendimento da construção da nação.

Em Repensando o Brasil do Oitocentos, os historiadores  mostram que os conceitos de cidadania e nação estão em constante mutação desde seu surgimento até os dias de hoje.

Jose Murilo de Carvalho
...


Liberdade vigiada
Paulo César Gomes
R$ 74,90

Tenentes: A guerra civil brasileira
Pedro Doria
R$ 54,90

Memória afetiva do botequim carioca (Capa dura)
José Octavio Sebadelhe e Pedro Paulo Thiago de Mello
R$ 77,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais