Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Contos/ Crônicas Home > Contos/ Crônicas > Como se não houvesse amanhã
Como se não houvesse amanhã
Autor: Henrique Rodrigues
EAN: 9788501089434
Gênero: Contos/ Crônicas
Páginas: 160
Formato: 14 x 21 cm
Editora: Record
Preço: R$ 47,90
   

Formada em 1982, a Legião Urbana – composta por Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá – é talvez a mais bem-sucedida banda de rock brasileira. Suas músicas embalaram, e ainda embalam, os sonhos, as alegrias, as tristezas e os amores de muita gente. Mesmo tendo encerrado suas atividades de maneira não planejada e trágica, devido a morte de Renato Russo em 1996, a Legião Urbana continua presente na mente e nos corações de milhões de pessoas. Então, não é surpresa alguma que suas canções também sirvam de inspiração para muitos artistas em atividade no Brasil. Incluindo escritores.
Prova maior disso é o livro de contos “Como se não houvesse amanhã”, organizado pelo escritor Henrique Rodrigues, que traz vinte histórias inspiradas em músicas da Legião Urbana, cada uma escrita por um autor diferente. Além de ser uma homenagem à banda que se tornou um mito, “Como se não houvesse amanhã” é também uma amostra do que há de melhor na literatura brasileira contemporânea.
A exemplo das músicas da lendária banda formada em Brasília, os contos tratam de temas universais como amor, perda, revolta, indignação, morte. E, assim como as canções da Legião Urbana, os vinte contos deste livro são delicados, profundos, inquietantes e belos. E todos foram feitos para serem lidos em volume máximo – sim, em volume máximo, tendo a Legião Urbana como som de fundo.

Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues nasceu em 1975 no Rio de Janeiro, onde ...



Autorretrato e outras crônicas
Carlos Drummond de Andrade
R$ 39,90

Felicidade incurável
Fabrício Carpinejar
R$ 42,90

Me ajude a chorar
Fabrício Carpinejar
R$ 37,90


Lançamento do Livro Branco no Rio
Rio de Janeiro/RJ
27/08/2012
Saiba mais

Lançamento Livro Branco em SP
São Paulo/SP
29/08/2012
Saiba mais