Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
História Home > História > Febre do Panamá: A história de uma das maiores realizações do homem
Febre do Panamá: A história de uma das maiores realizações do homem
Autor: Matthew Parker
Título Original: Panama fever
Tradutor: Carlos Duarte e Anna Duarte
EAN: 9788501084330
Gênero: História
Páginas: 602
Formato: 16x23
Editora: Record
Preço: R$ 119,90
   

Aclamada pela crítica estrangeira, esta meticulosa e extraordinária obra do escritor Matthew Parker — apontada pelo jornal britânico Daily Telegraph como forte candidato a todos os prêmios de não ficção —, conta de forma singular e impressionante a história de uma dos mais monumentais realizações do homem em todos os tempos — o Canal do Panamá.

Em 1513, o conquistador espanhol Vasco Núñez de Balboa se tornaria o primeiro europeu a avistar o maior oceano do planeta e constatar que apenas uma estreita faixa de terra o separava do já cruzado — e razoavelmente conhecido — Atlântico. Era o início de um sonho que inflamaria monarcas, presidentes, homens de negócios e exploradores: encontrar uma hidrovia entre o Atlântico e o Pacífico. Quem a descobrisse estaria na vanguarda do comércio global e influenciaria o futuro de várias nações.

Mas o que viria a ser considerada uma das artérias-chave do comércio mundial não estava nos planos da natureza. Cabia ao homem abrir o caminho, em um projeto iniciado pelos franceses, em 1880, e finalizado pelos EUA, em 1914. Obra tão ambiciosa quanto a construção das pirâmides: entre as duas colossais massas de água, montanhas, florestas e pântanos. As condições climáticas eram o pesadelo de qualquer engenheiro — oito meses por ano as chuvas caíam sem parar, tornando o istmo um dos lugares mais úmidos do planeta. Um verdadeiro inferno tropical, afetado, ainda, pela instabilidade política, a malária e a febre amarela.

Milhares de homens trabalharam sob chuvas torrenciais e calor escaldante para quebrar a espinha rochosa que liga as Américas, muitas vezes sucumbindo às condições adversas de trabalho e clima, e aos males dos trópicos. Décadas mais tarde, com um saldo de 25 mil vidas perdidas — cerca de quinhentos homens mortos para cada 620 metros escavados — e várias outras irremediavelmente marcadas por mutilações e doenças, a primeira embarcação cruzaria o Canal do Panamá. Desde então, mais de um milhão de navios fizeram o mesmo, em uma média de 14 mil por ano. Apesar do aumento no tamanho das embarcações, 5% de todo o comércio marítimo mundial — e 12% dos navios norte-americanos — ainda passa por suas eclusas.

Febre do Panamá é o relato minucioso dessa empreitada épica. Matthew Parker analisa não apenas o incrível feito de engenharia, mas as realizações financeiras, técnicas e até mesmo médicas que o tornaram possível. Disseca a assombrosa ambição por trás de todas elas, em um detalhado estudo da miríade de pessoas e planos associados ao trabalho, e captura a angústia dos envolvidos nessa tarefa. Descreve claramente o alto preço pago com vidas e os jogos diplomáticos para determinar o caminho e localização do canal. Trata, também, dos inimigos que a empreitada colecionou, abordando os interesses velados que temiam a mudança da geografia mundial.

Parker revela, ainda, onde os franceses erraram e por que os americanos foram bem-sucedidos. E explica como a abertura do canal quase simultânea ao mergulho do Velho Mundo em um conflito mundial catapultou os Estados Unidos a uma posição de comando universal. Repleto de confidências, cartas, diários e memórias, mostra como uma pequena faixa de terra na América Central fez do mundo um lugar.

Matthew Parker

Matthew Parker nasceu na América Central em 1970. Passou ...



Tenentes: A guerra civil brasileira
Pedro Doria
R$ 54,90

Memória afetiva do botequim carioca (Capa dura)
José Octavio Sebadelhe e Pedro Paulo Thiago de Mello
R$ 77,90

Cowboys do asfalto
Gustavo Alonso
R$ 82,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais