Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
História Home > História > O século do conforto: Quando os parisienses descobriram o casual e criaram o lar moderno
O século do conforto: Quando os parisienses descobriram o casual e criaram o lar moderno
Autor: Joan Dejean
Título Original: The age of comfort
Tradutor: Catharina Epprecht
EAN: 9788520009949
Gênero: História
Páginas: 416
Formato: 16 x 23 cm
Editora: Civilização Brasileira
Preço: R$ 94,90
   

Joan DeJean revela a origem do conceito de conforto na sociedade ocidental ao analisar uma série de inovações surgidas capital francesa durante os reinados de Luis XIV e Luis XV. Em O século do conforto, a autora mostra como “a vida voltada para o conforto de hoje é um fenômeno com poucos precedentes na história ocidental”.

A pesquisadora relata como o lar moderno tomou forma, com a atual disposição dos cômodos, a invenção do sofá,  da água corrente, entre outras invenções. Segundo ela, arquitetos, antigos artesãos e os habitantes da Paris dos séculos XVII e XVIII criaram a planta baixa das residências e projetaram nosso modo de viver nelas.

Foi nessa cidade e nessa época (1670 – 1765) que o conforto e a informalidade emergiram como prioridades em domínios que variavam da arquitetura e da moda ao design de móveis e à decoração de interiores”, afirma DeJean.

Hoje é difícil imaginar uma sala de estar sem sofá. Quando no século XVII surgiram os primeiros sofás de que se tem notícia, o resultado foi uma reelaboração radical do espaço interior. Símbolo de uma nova era de informalidade e conforto, o sofá surgiu em uma época conhecida como a era de ouro da conversa. Como o primeiro móvel planejado para duas pessoas sentarem juntas, também era considerado um convite à sedução. Nesse mesmo período houve outras mudanças nos espaços internos que hoje consideramos óbvias, como se sempre tivessem existido: quartos de dormir, banheiros e sala de estar.

Nada disso teria acontecido sem um grupo de visionários – arquitetos lendários, os primeiros decoradores de interiores e as mulheres que moldaram os gostos de dois sucessivos reis da França: a marquesa de Maintenon, amante de Luís XIV, e marquesa de Pompadour, amante de Luís XV. Daí em diante, suas ideias revolucionárias teriam influência direta até mesmo em áreas não domésticas, do vestuário à literatura, assim como nas questões de gênero, modificando a maneira como as pessoas viviam e se relacionavam.

Joan Dejean

Joan Dejean, autora de sete livros sobre literatura, história ...



Liberdade vigiada
Paulo César Gomes
R$ 74,90

Tenentes: A guerra civil brasileira
Pedro Doria
R$ 54,90

Memória afetiva do botequim carioca (Capa dura)
José Octavio Sebadelhe e Pedro Paulo Thiago de Mello
R$ 77,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais