Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Pensamento Home > Pensamento > Fantasmas na biblioteca: A arte de viver entre livros
Fantasmas na biblioteca: A arte de viver entre livros
Autor: Jacques Bonnet
Tradutor: Jorge Coli
EAN: 9788520010006
Gênero: Pensamento
Páginas: 160
Formato: 14 x 21 cm
Editora: Civilização Brasileira
Preço: R$ 47,90
   

Com Fantasmas na biblioteca: a arte de viver entre livros, a Civilização Brasileira oferece ao leitor brasileiro uma das obras mais importantes do mundo sobre bibliofilia, a arte de colecionar livros. Uma publicação para quem gosta de livros, bibliotecários, livreiros e leitores fanáticos que perseguem livros quando são perseguidos pela fome de ler.

Jacques Bonnet

Jacques Bonnet é bibliófilo, editor e tradutor. ...



Steve Jobs em 250 frases
Alan Ken Thomas
R$ 32,90

Meditações para o dia
Osho
R$ 52,90

Dalai-Lama todos os dias; 365 meditações diárias
Dalai-Lama
R$ 47,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais