Gêneros
Administração
Artes
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Filosofia Home > Filosofia > Quando brinco com a minha gata, como sei que ela não está brincando comigo?
Quando brinco com a minha gata, como sei que ela não está brincando comigo?
Autor: Saul Frampton
Título Original: When I am playing with my cat, how do I know she is not playing with me?
Tradutor: Marina Slade
EAN: 9788574321271
Gênero: Filosofia
Páginas: 336
Formato: 16 x 23 cm
Editora: Difel
Preço: R$ 54,90
     

O livro que aproxima o leitor dos textos clássicos de um dos maiores filósofos de todos os tempos

Quando brinco com a minha gata, como sei que ela não está brincando comigo? – Montaigne e o estar em contato com a vida, de Saul Frampton, celebra, com leveza e bom humor, a vida e a obra de Michel de Montaigne, cujos ensaios tiveram enorme impacto em figuras como Shakespeare e Orson Welles, e cujos pensamentos, ainda hoje, ferecem uma visão sem precedentes sobre a simples questão de estar vivo.

O livro apresenta uma viagem pela evolução dos ensaios de Montaigne e os eventos que o inspiraram ao longo de sua vida. Um dos maiores méritos de Frampton é convidar o leitor a conhecer e a compreender as ideias do filósofo a respeito da morte, do sexo, da amizade, da natureza e, acima de tudo, do poder do comum e do banal, o valor do momento presente. 

Por meio dos ensaios do filósofo francês, Frampton argumenta que ele usava, muitas vezes, a escrita como terapia, colocando seus sentimentos no papel.

O estilo do livro é divertido, fácil e pertinente, como quando comparado, de forma memorável, Montaigne com James Stewart, de A felicidade não se compra: “Montaigne começa a rejeitar a desesperança e a sentir a textura do tecido simples da existência.” (p.13)

Michel de Montaigne aposentou-se aos 37 anos e viveu o restante da vida em seu castelo. No entanto, em vez de acalmá-lo, o ócio fez Montaigne procurar algo mais para a vida. Essa foi a origem de seus ensaios.

“Excelente. Saul Frampton se sobressai em seus insights inteligentes e perspicazes.” (The Washington Post)

“Esta viagem pela renascença é uma joia.” (Publishers Weekly)

Saul Frampton

Saul Frampton estudou filosofia na Universidade de East Anglia, ...



Quadros de guerra: Quando a vida é passível de luto?
Judith Butler
R$ 42,90

Se só me restasse uma hora de vida
Roger Pol-Droit
R$ 27,90

Filosofia prática: Ética, vida cotidiana, vida virtual
Marcia Tiburi
R$ 47,90


Biografia de Gregório de Matos publicada pela Record vence prêmio da ABL
15/07/2015
Saiba mais

Por questões de segurança, Roberto Saviano cancela participação na Flip
Saiba mais

Sucesso no gênero jovem adulto, Gayle Forman lançará seu primeiro livro adulto pela Record.
Saiba mais

Record é 1ª a adquirir os direitos do romance de estreia de Gayle Forman na literatura adulta
15/06/2015
Saiba mais