Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Biografia/ Memória Home > Biografia/ Memória > Uma mulher em Berlim
Uma mulher em Berlim
Autor: Anônima
EAN: 9788501079398
Gênero: Biografia/ Memória
Páginas: 288
Formato: 14 x 21 cm
Editora: Record
Preço: R$ 59,90
   

“Um diário lírico que deixa cicatrizes profundas.” — Observer


A jovem berlinense que escreveu este diário, de 20 de abril de 1945 até 22 de junho do mesmo ano, desde a primeira publicação do livro, não quis ter sua identidade revelada. Ao lermos seu testemunho, entendemos os motivos.
Este é um relato detalhado da invasão e conseqüente ocupação russa da capital alemã. A princípio, a situação da autora é imaginável, até para os menos familiarizados com os reveses de uma guerra. Ela encontra um lugar seguro para se esconder, o sótão de uma casa qualquer, e passa alguns dias vagando por Berlim, em filas, esperando por comida e conversando com os vizinhos sobre a iminente chegada dos russos.
Mas, gradativamente, a situação da autora se torna mais cruel. Quando as tropas russas chegam a Berlim e invadem as casas ao redor de seu abrigo, ela se vê obrigada a abandonar o sótão e se instalar em um porão sem janelas, onde já viviam outras 15 mulheres. Em determinado momento, os soldados descobrem o esconderijo e as obrigam a deixá-lo. Expostas aos homens, quase sempre embriagados, a autora não apenas presenciou vários estupros, mas foi vítima de muitos deles.
Com um tom objetivo, que beira a frieza e o sarcasmo, o relato é preciso, sobre a vida cotidiana de uma mulher que habitou um imóvel quase em ruínas: uma vida miserável, povoada pelo medo, o frio, a sujeira, a fome, além dos bombardeios seguidos por uma brutal ocupação. A essas adversidades, somam-se os repetidos estupros, a vergonha e a banalização do pavor.
Este livro foi publicado pela primeira vez na Inglaterra em 1955 e uma edição em alemão foi feita em 1960. Apesar de a guerra ter acabado havia 15 anos, a publicação causou um forte impacto e foi recebida com tamanho ultraje que a autora pediu que o livro só fosse comercializado após sua morte. Os homens alemães, mesmo depois de tanto tempo, não conseguiam suportar a verdade da experiência feminina durante a ocupação em Berlim.
 A sinceridade e a lucidez do olhar sobre uma Berlim tetanizada pela derrota dão grande valor a esse terrível relato, um retrato de uma luta desesperada pela sobrevivência durante a Segunda Guerra Mundial.

“Um relato notável.” — The New York Times Book Review

“Uma leitura perturbadora.” — The Guardian

“Este é um diário excepcional.” — Sunday Express

 

Anônima
...


Confesso que vivi
Pablo Neruda
R$ 59,90

O diário de Anne Frank (Edição de bolso)
Anne Frank
R$ 29,90

Querido Mundo: A história de guerra de uma menina síria e sua busca pela paz
Bana Alabed
R$ 34,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais