Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Notícias Home > Acontece > Notícias

Último podcast de Diogo Mainardi

Adeus, pessoas estranhas

Este é meu último podcast. O primeiro foi em setembro de 2006. Durou tudo isso: dois anos e dez meses. Era para ter durado apenas dez semanas. O que aconteceu de lá para cá?

Número 1:

Aprendi o que era podcast. Nada muito esotérico: um comentário recitado, de dois minutos e meio, com minha voz anasalada, com meu tom enfadonho. Em geral, um suplemento à coluna publicada na mesma semana, nas páginas de Veja.

Número 2:

O podcast deu certo. Algumas pessoas, estranhamente, se dispuseram a ouvi-lo. Eu sou grato a essas estranhas pessoas.

Número 3:

O podcast, da primeira à última semana, soube atrair uma série de patrocinadores. Só um deles se assustou com o conteúdo de meu trabalho e, arrependido, pulou fora antes de acabar o contrato. Comicamente, era uma companhia de seguros, acostumada a correr riscos.

Número 4:

A internet matou a imprensa. E eu, estupidamente, escolhi renunciar à internet, permanecendo no corpo carcomido da imprensa. Como um verme. Dois meses atrás, a Editora Record me ofereceu um adiantamento para fazer um ensaio sobre o assunto que mais me interessa: paralisia cerebral. Decidi aceitar. A idéia é misturar depoimento pessoal com reportagem. Por isso estou abandonando o podcast: porque preciso de tempo para poder me dedicar ao projeto. E, de todos os meus trabalhos, o do podcast é o que menos me importa. O adiantamento da Editora Record cobre meu salário na internet por um ano e meio. Depois disso, o plano é simples: mendigar de volta meu emprego na Veja Online, engolindo o que acabei de dizer sobre a internet.

Já agradeci às estranhas pessoas que se dispuseram a me ouvir. Mas minha lista de agradecimentos é muito maior. Só omito os nomes porque é constrangedor citar meu próprio chefe, meus colegas, meus programadores, meus entrevistados, meus amigos, meus parentes. Saio da internet desse jeito, mal-educadamente, sem agradecer a nenhum deles. A internet é mal-educada. Depois de dois anos e dez meses de podcast, tornei-me ainda mais mal-educado do que era.

Data: 25/06/2009



Outras notícias

 Autor da Civilização Brasileira conquista Açorianos na categoria Ensaios

 “Superação – o milagre da fé” nos cinemas e nas livrarias

 Record lança obra de García Márquez em livro eletrônico

 Adaptação do livro de Harper Lee bate record semanal na Broadway

 Maria Stuart: dos cinemas ao livro de Stefan Zweig

 “Eu não uso, nunca usei e nunca vou usar ghostwriters”, rebate Nora Roberts

 Divulgada a segunda lista de parceiros de 2019

 Acorde cedo pelo seu primeiro milhão

 Rosa dos Tempos irá publicar de "A mística feminina", de Betty Friedan, em 2019

 Livro de Gisele Bündchen vai se chamar "Aprendizados: Minha caminhada para uma vida com mais significado"

 
 
A queda: As memórias de um pai em 424 passos
Diogo Mainardi
R$ 29,90

LULA É MINHA ANTA
Diogo Mainardi
R$ 54,90

ver todos os livros
Diogo Mainardi

Diogo Mainardi é escritor, produtor, roteirista de cinema ...