“A pior princesa do mundo”, de Anna Kemp

5/12/2015 13 visualizações

Por Thaís Britto

Princesas são donzelas em perigo que, depois de rotineiramente resgatadas pelo Príncipe Encantado, vivem felizes para sempre num castelo pomposo com seus vestidos luxuosos, certo? Errado! Numa época em que as mulheres se fazem ouvir cada vez mais alto, nada melhor do que desconstruir estereótipos desde a infância  com os livros, sempre eles. No adorável “A pior princesa do mundo” (Paz & Terra), a autora Anna Kemp deixa claro para quem ainda não entendeu:  lugar de princesa é onde ela quiser.

A história gira em torno de Soninha, uma princesa que passou a vida esperando que o Príncipe Encantado chegasse para salvá-la de sua vida tediosa. Um dia ele finalmente chega! E Soninha acha que sua jornada  de aventuras enfim vai começar. Mas em vez de levá-la junto com ele para suas batalhas e diversões, o príncipe acha que ela precisa ficar trancafiada no castelo… “Eu uso armadura, você usa vestido. Escolha um: seu armário está sortido. Sorria muito, mantenha a rotina. Lutar com dragão não é coisa de menina”, diz a figura. Sim, amigas: o príncipe é um machista!

Mas nossa brava Soninha não é nada boba. Conhece um novo amigo, dá um jeito de sair daquela furada, viver suas aventuras e ser feliz do seu próprio jeito. Além da maravilhosa trama, o livro tem ainda lindas ilustrações de Sara Ogilvie e uma tradução poética, espertinha e rimada de Marília Garcia.

Leia um pequeno trecho:

“Sozinha em sua torre, ela começou a reclamar:

– Meu príncipe é um pateta, onde eu fui parar?

Então, ela espiou lá do alto e de repente…

… Viu um terrível dragão de olhar reluzente.

Soninha não teve medo daquela cara de mau,

Em vez disso, pensou uma coisa genial.”