Alberto Mussa concorre ao prêmio Faz Diferença, do Globo

9/01/2019 8 visualizações

O brilhantismo na forma de construir suas narrativas credenciam o escritor Alberto Mussa como um dos grandes romancistas nacionais vivos. A condição foi confirmada em seu livro mais recente, ‘A biblioteca elementar’, lançado no ano passado, que valeu a indicação em diversas listas de melhores do ano. Por isso, o autor da Editora Record concorre ao prêmio Faz a Diferença, iniciativa do Globo em parceira com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), na categoria Segundo Caderno/Livros. A premiação está na 16ª edição e busca reconhecer o trabalho, dedicação e o talento de brasileiros que serviram de inspiração em 2018, nas mais diversas áreas de atuação. Para votar em Alberto Mussa, clique. A votação se encerra no dia 29 de janeiro.

Com ‘A biblioteca elementar’, Mussa encerra seu compêndio mítico do Rio de Janeiro, que retrata a história do Rio de Janeiro ao longo de cada século de sua história. A habilidade para retratar tipos populares, entre escravos a ciganos, em tramas cativantes, envolve seu fiel séquito de leitores. Em 2018, chegou a ser cotado para a cadeira que era ocupada por Nelson Pereira dos Santos.

Contista e romancista, Mussa recriou a mitologia dos antigos tupinambás, traduziu poesia árabe pré-islâmica e escreveu, com Luiz Antonio Simas, uma história do samba enredo. Sua obra está publicada em dezessete países e quinze idiomas. Pior sua obra conquistou os prêmios Casa de Las Américas, Academia Brasileira de Letras, Oceanos, Machado de Assis (FBN) e APCA.