Cinco motivos para ler “Menina boa, menina má”

16/08/2018 103 visualizações

Ali Land sempre se interessou pelos labirintos da psique humana. Por dez anos, trabalhou como enfermeira na área de saúde mental infantil e justamente dessa experiência nasceu seu livro de estreia. Leitora voraz e com grande imaginação, em Menina boa, menina má ela constrói um thriller psicológico intenso e envolvente que é impossível parar de ler.  Sob a perspectiva de uma adolescente, Ali Land mergulha na mente de uma assassina psicopata, que sequestra, tortura e mata crianças.

Neste post você confere cinco motivos para deixar essa obra, que chega às livrarias esta semana, na sua lista de prioridades!

1) A SINOPSE

Só de ler a sinopse já dá pra ter uma ideia do quão legal o livro vai ser! Se liga só: Depois de 16 anos sofrendo a violência constante da mãe psicopata obcecada por matar crianças, a menina Milly resolve ir à polícia denunciar a mãe. Com a prisão, Milly vai parar em uma família adotiva para se preparar para o julgamento onde vai depor contra a mãe. Ao mesmo tempo que Milly conhece os familiares, ela vai tendo que lidar com sua própria personalidade e tentar descobrir se é realmente diferente da mãe ou se ela é mais parecida do que imagina.

2) VOCÊ NÃO CONSEGUE PARAR DE LER

Se for ler antes de dormir, prepare-se para passar a madrugada toda acordada! Durante a leitura, você fica constantemente esperando o próximo passo da Milly porque ela é completamente imprevisível e uma narradora nada confiável. A medida que a história vai caminhando, você acaba ficando preso nessa própria dualidade da narrativa e começa a duvidar de certas coisas e se questionar sobre algumas atitudes dos personagens em questão. É eletrizante!

3) REVIRAVOLTAS E SURPRESAS

Prepare-se para ser surpreendido em diversas partes do livro! Em vários momentos da narrativa, quando você acha que já sacou tudo que vai acontecer, a autora vai lá e te pega completamente desprevenido. É até um pouco chocante quando as coisas acontecem!

4) A AUTORA TRABALHOU MUITOS ANOS COM SAÚDE MENTAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Depois de se formar em saúde mental na faculdade, a autora passou 10 anos trabalhando exclusivamente com crianças e adolescentes em hospitais e escolas no Reino Unido e na Austrália. Sendo assim, toda a história tem um embasamento muito interessante o que impede que ela seja contada de uma forma leviana! Mais do que um thriller incrível, Menina Boa, Menina Má faz um estudo sobre a personagem e revela algumas questões sobre pessoas que sofreram durante a infância e o quanto isso pode, ou não, marcá-las para sempre.

5) OS PERSONAGENS SÃO INTENSOS E COMPLEXOS

A Ali constrói desenvolve os personagens de uma maneira muito intensa  Além da Milly, todos os membros da família tem personalidades muito diferentes e plurais o que acaba humanizando todos eles e criando uma identificação com o leitor. Ninguém é 100% mau ou bom. E todos podem esconder sombras dentro de si por trás da aparente normalidade. Por conta do ponto de vista da Milly, nós também temos a oportunidade de estar dentro da cabeça dela e tentar vivenciar o que é ter esse passado perturbador.