Antropóloga Debora Diniz conquista o Prêmio Dan David

13/02/2020 151 visualizações

Autora de Zika – Do sertão nordestino à ameaça global e de Cadeia – Relatos sobre mulheres, publicados pela Editora Civilização Brasileira, a antropóloga brasileira Debora Diniz teve o seu trabalho na área da bioética reconhecido pela fundação israelense Dan David. Anualmente a instituição premia iniciativas inovadoras capazes de gerar impacto social e superar paradigmas. A professora da UnB, que divide o prêmio de 1 milhão de dólares com uma ativista indiana, foi a segunda mulher latino-americana a ser agraciada com o Dan David.

Debora Diniz foi uma das vozes que se opôs à criminalização do aborto em audiência no Supremo Tribunal Federal. Diante de sua defesa dos direitos das mulheres, Debora virou alvo de grupos conservadores e teve de deixar o país em 2018. Em seus livros, a autora revela a luta de mulheres em situações adversas. Debora foi uma das principais responsáveis por chamar atenção para a epidemia de zika no sertão nordestino.

Em sua conta no Twitter, Debora Diniz agradeceu o prêmio e dedicou-o a cada mulher que luta pela igualdade de gênero no país.