Dia internacional da mulher: lançamento de 'Esperança feminista' e pré-venda de 'Sempre foi sobre nós'

Dia Internacional da mulher: lançamento de ‘Esperança feminista’ e pré-venda de ‘Sempre foi sobre nós’

8/03/2022 188 visualizações

No Dia Internacional da Mulher, a editora Rosa dos Tempos traz duas comemorações importantes: o lançamento de ‘Esperança feminista’ e o início da pré-venda de ‘Sempre foi sobre nós’. A live de lançamento reúne as autoras Debora Diniz e Ivone Gebara nos perfis da editora (@editorarosadostempos) e de Debora (@debora_d_diniz) para pensar os rumos da ação feminista.

Além do lançamento, a Rosa dos Tempos também inicia hoje a pré-venda do livro ‘Sempre foi sobre nós’. Com organização de Manuela D’ávila, a coletânea reúne relatos de mulheres com importante atuação na política brasileira, como Dilma Rousseff, Marina Silva e Tabata Amaral,  e que sofreram violência durante a campanha eleitoral e o exercício do mandato.

Capa de 'Esperança feminista'

ESPERANÇA FEMINISTA

Debora Diniz e Ivone Gebara

Em Esperança feminista (Rosa dos tempos, 280 págs., R$ 59,90) Debora Diniz e Ivone Gebara – duas das principais vozes do feminismo brasileiro – se encontram para pensar a ação feminista a partir de doze verbos políticos e poéticos.

Professora universitária, Debora Diniz é conhecida amplamente pela sua atuação para garantia dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, incluindo a descriminalização do aborto. Pela reação de extermistas à sua atuação, foi obrigada a se autoexilar em 2018. Recebeu mais de cem prêmios, entre eles o prestigioso Dan David, pelo trabalho acadêmico em igualdade de gênero, e foi indicada pela importante revista Foreign Policy um dos cem pensadores globais de 2016.

Ivone Gebara é uma freira católica ecofeminista que, devido à teologia crítica que fazia – e faz – e à sua postura sobre a descriminalização do aborto, foi proibida pelo Vaticano, durante vários anos, de falar em público e divulgar suas ideias. O enfoque que dá a valores como autonomia e liberdade da mulher, que tradicionalmente são negados pela Igreja católica, faz com que seja inspiração para grupos feministas, como o importante Católicas pelo Direito de Decidir.

Em comum, as autoras trazem o estranhanhamento de uma conjugação patriarcal naturalizada, a celebração da alegria feminista e uma vida de desobediência criativa ao patriarcado e suas tramas.

Capa de 'Sempre foi sobre nós'

SEMPRE FOI SOBRE NÓS

Org. Manuela D’Ávila

Depois de enfrentar graves episódios de violência política de gênero, Manuela d’Ávila, uma das feministas mais ativas e relevantes do país, decidiu buscar histórias similares às suas. Assim nasceu Sempre foi sobre nós (Rosa dos tempos, 224 págs., R$ 39,90), livro que reúne relatos de mulheres com importante atuação na política brasileira e que sofreram violência durante a campanha eleitoral e o exercício do mandato. As vivências aqui apresentadas são chocantes não apenas pela agressividade das disputas políticas, mas por sua motivação intrínseca: todas as autoras foram e são atacadas quase diariamente apenas por serem o que são, mulheres.

As agressões relatadas vão desde notícias mentirosas e distorcidas da grande mídia, como as perpetradas contra Dilma Rousseff e Jandira Feghali, aos e-mails anônimos com ameaças de morte e estupro recebidos por Duda Salabert e Talíria Petrone. Chegam até mesmo ao marco da violência política, racista e de gênero brasileira, o assassinato da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson, em 14 de março de 2018.

Sempre foi sobre nós é um documento histórico que dá nome ao fenômeno violência política de gênero. É também um convite para que a política seja repensada e para que situações de opressão não sejam mais toleradas. “Quando uma mulher entra na política, muda a mulher. Quando muitas entram, muda a política”, são as palavras da ex-presidenta do Chile, Michelle Bachelet. Que estes relatos de fibra e bravura sirvam para além da denúncia, que sejam fonte de admiração e inspiração para um futuro mais igualitário.

Este livro conta com textos de Anielle Franco, Áurea Carolina, Benedita da Silva, Bruna Rodrigues, Daiana Santos, Dilma Rousseff, Duda Salabert, Erika Hilton, Isa Penna, Jandira Feghali, Jô Moraes, Manuela d’Ávila, Maria do Rosário, Marina Silva, Marlise Matos, Sonia Guajajara, Tabata Amaral e Talíria Petrone.