“Diário Absolutamente Verdadeiro de um Índio de Meio-Expediente”, de Sherman Alexie

21/11/2015 15 visualizações

Histórico de hidrocefalia, problemas na vista, mais dentes que o normal, levemente gago, pai alcoólatra e… índio. Este é Arnold Spirit, um menino nada ordinário, que mora na reserva Spokane. Sua aparência faz com que sofra bullying na tribo, onde só tem um amigo.

Após um incidente com um professor, Arnold percebe que está na hora de mudar de escola e descobrir o que existe do lado de fora da reserva. Aceitar este desafio não é uma tarefa simples. Ir para um novo colégio representa todas as novas opções que se abrem para Arnold e, aos poucos, ele percebe que nem tudo é tão simples quanto parece.

Sem moldar o indígena como uma vítima da sociedade, mas incluindo um teor crítico em seu discurso, o autor, que é um índio Spokane, fala com propriedade sobre diversas situações vividas por um típico adolescente, índio ou não: medo da rejeição, superação e problemas familiares. O  livro reflete a ambiguidade da vida de Arnold.

A narrativa é descontraída e mostra como lidar com as diferenças sem perder a esperança.  Lançado pela Galera Record, “Diário Absolutamente Verdadeiro de um Índio de Meio-Expediente” é o retrato, entre sorrisos e lágrimas, sobre a fase das maiores descobertas da vida.

Com ilustrações de Ellen Forney, o livro é um surpreendente relato sobre a determinação de um jovem em busca de oportunidades. O livro foi vencedor do National Book Award de 2007.

E Roger, um cara de coração bondoso, bolso generoso e só um pouquinho racista, me levou de carro para a casa naquela noite. E muitas noites depois daquela também.

Se você permitir que as pessoas entrem na sua vida um pouquinho, elas podem ser um bocado surpreendentes.”