Em “A rainha domada”, Philippa Gregory conta a história de Catarina Parr, última esposa do rei Henrique VIII

31/10/2017 14 visualizações

Autora de “A rainha branca” e a “A irmã de Ana Bolena”, entre outros romances baseados na história da Era Tudor, Philippa Gregory lança agora no Brasil “A rainha domada”, livro em que conta a história da última esposa de Henrique VIII, o rei da Inglaterra que rompeu com a Igreja Católica para anular seu primeiro casamento, com Catarina de Aragão, que não conseguiu lhe dar um herdeiro homem, e se casar com Ana Bolena. Henrique VIII ainda se casou com outras quatro mulheres até conhecer Catarina Parr, que tinha ficado viúva duas vezes e era apaixonada por Thomas Seymour, irmão de uma das esposas do rei.

Henrique VIII tinha idade para ser seu pai, era feio e obeso, e ainda condenara à morte duas de suas ex-esposas. Mas Catarina não teve escolha e se casou. Filha mais velha do lorde Sir Thomas Parr, Catarina conquistou a confiança do rei ao reunir a sua família, foi uma das principais incentivadoras da reforma religiosa e chegou a comandar o reino como regente, durante a participação do marido numa campanha militar na França.  Erudita, estudou latim e teologia e foi a primeira mulher a publicar um livro em língua inglesa assinando o próprio nome. Um ato de coragem em uma época na qual grande parte dos textos eram produzidos por homens e as pouquíssimas mulheres que se arriscavam a escrever o faziam de forma anônima.

Em nota escrita ao final do livro, Philippa Gregory ressalta a coragem da personagem e lamenta que muitos ainda desconheçam sua história. “Embora ela tenha vivido há tantos anos, quando penso no medo que enfrentou e a coragem que precisou ter, não posso deixar de admirá-la. Seus estudos meticulosos, em sua maioria autodidatas, devem tocar profundamente qualquer mulher que já tentou entrar nos círculos exclusivos de poder masculino”.

A obra chega às livrarias em outubro pela Record.  Leia aqui a nota da autora na íntegra.