Especial Dia da Criança

10/10/2015 10 visualizações

Harry Potter_baixaOS LUGARES MÁGICOS DOS FILMES DE HARRY POTTER, de Jody Revenson (Galera)

Uma preciosidade para colecionadores e fãs de todas as idades, Os lugares mágicos dos filmes de Harry Potter: Hogwarts, Beco Diagonal e Além traz este universo mágico em 208 páginas ricamente coloridas e ilustradas. Mostrando todos os detalhes dos cenários construídos para dar vida às histórias de J.K. Rowling, a obra é rica em fotos, desenhos e ilustrações gráficas. Seus detalhes desvendam todo segredo, truque e magia por trás de cenas gloriosas ou meras passagens rotineiras na história dos personagens da série. Os lugares mágicos dos filmes de Harry Potter é um presente sem igual para novos e antigos fãs deste universo fantástico.

Organizado pela ordem em que os locais aparecem nos filmes, o livro leva os leitores por uma jornada visual ao longo dos oito longas da franquia. Além de perfis detalhados de cada ambiente, há também artes conceituais e fotos inéditas de bastidores. Há ainda fotografias dos filmes com textos complementares que contam alguns segredos da produção, diretamente dos arquivos da Warner Bros. O livro é, sem dúvida, um olhar único sobre os cenários criativos que foram desenhados, construídos, equipados ou digitalmente aumentados especificamente para os filmes. A obra inclui ainda as locações reais visitadas pela equipe no interior da Inglaterra, País de Gales e Escócia e que, depois, acabaram se tornando cenários de locais como a cabana do Hagrid, o Chalé das Conchas e a Ponte de Hogwarts. Para completar esse conjunto impressionante, o livro traz ainda um pôster destacável com um mapa do Beco Diagonal, além de um folheto com pinturas de Hogwarts.

Em uma passagem sobre a Sala Precisa, um dos cenários mais enigmáticos da série, temos a dimensão dos detalhes da produção de uma das cenas do último filme:

Na preparação para ocupar a sala com vários milhares de  peças de mobília necessárias, McMillan começou a comprar mobília adicional muitos meses antes de filmar a cena. Ela também usou o estoque do estúdio para ocupar o espaço e criar o que ela chamava de ‘as 13 montanhas’. Incorporados à pilha, havia móveis dos filmes anteriores. ‘Tínhamos 36 escrivaninhas, todas as mesas do Salão Principal, todos os bancos, todos os banquinhos dos professores. Os objetos do armário de troféus. As peças de xadrez do segundo filme. Os objetos da festa de Slughorn’, reconta McMillan, que gostava de andar pelo cenário e ver essas coisas. ‘E nós até, claro, trapaceamos, e o centro de cada pilha era composto de uma série de grandes caixas de compensado, só para dar volume. A mobília era só uma ou duas camadas acima disso’, admite Craig. Imagens geradas por computador aumentaram e preencheram a sala ainda mais.” 


Magia_baixaMAGIA, de Andrea Camilleri (Galera Júnior)

Autor de mais de sessenta livros e premiado  internacionalmente como um dos mestres do romance policial, Andrea Camilleri traz em  Magia seu primeiro livro infantil ilustrado. Singela história sobre a força das palavras e a poderosa imaginação das crianças, Magia é um novo universo na história literária do italiano. A obra é como brincadeira de criança, cheia de detalhes, peripécias e reviravoltas. Em seu desenrolar, Camilleri se diverte com as possibilidades da vida e interage com as vontades e sentimentos do leitor. Giulia Orecchia, ilustradora vencedora do prêmio Hans Christian Andersen, emoldura a história da pequena Lullina e seu avô com as cores mais vibrantes da Sicília e faz desta uma aventura divertida para os pequenos.

Na pequena história, neta e avô caminham pelos campos da Sicília contando histórias. Um dia, ao notar que ela está um pouco calada, o avô lhe pergunta o que houve. Lullina então lhe conta sobre um sonho em que um homem pequenino, vestido de amarelo, lhe diz a fórmula mágica para fazer alguém desaparecer. Apesar de acreditar que aquilo é apenas fruto da imaginação da neta, o avô vai se surpreender quando as palavras se tornarem mágicas. Em Magia, as palavras abrem portais, e mostram que a imaginação das crianças é uma nova dimensão a ser explorada.

 


O vitral encantado_baixaO VITRAL ENCANTADO, de Diana Wynne Jones (Galera Júnior)

Um dos maiores nomes da literatura fantástica infanto-juvenil, Diana Wynne Jones sabe como poucos aliar a delicadeza dos enredos mágicos à ironia do humor britânico. Não é diferente neste O vitral encantado, último livro lançado em vida pela autora, que faleceu em 2011. A trama acompanha a jornada de Andrew, um homem cético que herda um casarão quando o avô morre. Os detalhes: o avô é um dos maiores magos da região e, a casa, um “campo de proteção” importante, responsável pela segurança de diversas criaturas que vivem por ali. Um vitral colorido na janela da cozinha é um dos itens mais especiais do local.

Os personagens criados pela autora são absolutamente cativantes. O Sr. e a Sra. Stock – os empregados rabugentos da casa que, apesar do nome, não são parentes – de tão arrogantes e mal humorados são hilários. Aos poucos vamos conhecendo ainda Stashe, uma jovem sabichona que se tornará secretária de Andrew; Aidan, um menino órfão que bate à porta pedindo refúgio e vai se tornar um grande parceiro do protagonista; e uma sorte de outras criaturas mágicas que rondam a propriedade em meio às mais inusitadas atividades.

O humor fino, a trama simples e muitas vezes até um toque de nonsense são armas poderosíssimas de Jones para conquistar seus leitores – Neil Gaiman a definiu como “a melhor autora de livros infantis dos últimos quarenta anos”. Mas são essas características que também deixam claro seu absoluto respeito pelos pequenos. Os pais, mães e irmãos maiores que quiserem se aventurar no universo de “O vitral encantado” também vão achar diversão por ali.


Batalha pelo Nether_baixa

INVASÃO DO MUNDO DA SUPERFÍCIE e BATALHA PELO NETHER, de Mark Cheverton (Galera Júnior)

Quando um grupo de jogadores mal intencionados destruiu as construções do filho de Mark Cheverton no game Minecraft, o pesquisador e professor de física e matemática só queria ensinar uma lição sobre cyberbulling para o filho, com quem aprendeu a amar o famoso jogo online. Nasceu assim “Invasão do mundo da superfície”, primeiro livro da trilogia. Na história, Gameknight999 – o nome de usuário real do filho de Cheverton, aliás – é um jogador que gosta de trollar os outros mas acaba sugado para dentro do jogo. O longo da trilogia – que cresceu, recentemente, com “Batalha pelo Nether”, o então garoto-problema vai aprendendo sobre empatia, coragem, trabalho em equipe e amizade para conseguir sobreviver no jogo e voltar à sua vida.

O jogo Minecraft é um fenômeno entre crianças e pré-adolescentes – e os livros inspirados nele seguem pelo mesmo caminho. O grande trunfo de Mark Cheverton, que durante anos foi professor de Ensino Médio e sabe bem se comunicar com jovens – é trazer as mensagens certas. Ele cria uma história super divertida em meio a um universo popularíssimo e aproveita para falar sobre os perigos do bullying, de como é essencial se importar com o outro, e como se deve lidar com este tipo de problema. Ponto para Cheverton! O último livro da trilogia, “Enfrentando o dragão”, chega às livrarias em novembro.

 


Diário de uma garota nada popular 8_baixaDIÁRIO DE UMA GAROTA NADA POPULAR, de Rachel Renée Russell (Verus Editora)

Considerado best-seller mundial,  sucesso entre o público juvenil, Diário de uma garota nada popular já vendeu mais de 820 mil livros só no Brasil. A série de Rachel Russell teve ainda os direitos cinematográficos adquiridos pela Lionsgate’s Summit Entertainment.

No oitavo volume da série, lançado recentemente pela Verus, o leitor acompanha mais uma aventura de Nikki, desta vez dentro dos clássicos contos de fadas.

Ricamente ilustrado, o livro é recheado de comédia e algumas nuances de drama, e é impossível não se identificar com os personagens. Diferente dos livros anteriores, o oitavo volume traz a magia do mundo dos contos de fadas, tirando os personagens do universo da escola. Este é um livro divertido que mostra situações e dilemas adolescentes narrados com bom humor por uma garota nada popular.

 

 


Jornada_baixaJORNADA, de Aaron Becker (Galerinha)

Primoroso trabalho de ilustração, esta obra foi eleita pelo New York Times como um dos melhores livros infantis ilustrados de 2013. Em Jornada, Aaron Becker cria sua versão deslumbrante da vida, livre em traços finos e na imprevisibilidade da aquarela que tanto lhe encanta. E é deixando o leitor entre desenhos e fantasia que ele conta a história da menina que, por uma porta desenhada na parede, sai de um tedioso mundo em sépia para um reino extraordinário. Em meio à explosão luminosa de cores do primeiro volume de uma trilogia, a magia leva meninos e meninas a viagens distantes. E da mesma forma os convida de volta: afinal, há novas aventuras a serem criadas por suas próprias imaginações.

Uma menina solitária desenha uma porta na parede do quarto e, através dela, escapa para um mundo mágico cheio de encanto, aventura e perigo. Com uma caneta vermelha, ela cria um barco, um balão e um tapete voador que a carregam em uma espetacular jornada a um destino incerto. Sem uma única palavra, mas com ilustrações maravilhosas, Jornada leva seus leitores para uma fantástica aventura sobre determinação e amizades inesperadas. Após trabalhar em filmes como O Expresso Polar e Carros, o autor e desenhista Aaron Becker surpreende no primeiro volume de uma delicada trilogia infantil.