Espiãs francesas na Primeira Guerra

25/11/2019 93 visualizações

Entre os lançamentos de novembro do Grupo Editorial Record, está a obra da norte-americana Kate Quinn, autora best-seller dos jornais The New York Times e USA Today. “A rede de Alice” é um romance histórico hipnotizante que fala sobre a trajetória de duas mulheres unidas pelo horror das guerras. As personagens principais são inspiradoras e ensinam muito sobre a dificuldade de encarar uma sociedade extremamente impositiva como a da época.

Incialmente, ele apresenta a história da jovem universitária Charlie St. Clair, que em 1947, durante o caótico final da Segunda Guerra, desiste do aborto que livraria sua família da vergonha de uma filha grávida e sem marido, na esperança de encontrar sua prima desaparecida durante a guerra. Em paralelo, Quinn reconstrói a história de Eve, em 1915, quando a jovem gaga e destinada a uma vida tediosa é surpreendida pela chance de ser recrutada para a Rede de Alice, um esquema de espionagem real que ocorreu na França durante a Primeira Guerra. Treinada por Lili, a rainha das espiãs, e Violette, Eve experimenta cada segundo da adrenalina que é espionar soldados alemães no restaurante do seu futuro inimigo.

Trinta anos depois, Eve vive seus dias bêbada e atormentada por memórias, até que a Charlie bate em sua porta pedindo ajuda para encontra a prima perdida. E é então que tudo acontece.

Recomendamos fortemente a leitura, que une mulheres fortes, espionagem e ainda rememora importantes fator históricos em passagens dolorosas sobre as guerras e suas trágicas consequências. A leitura é cheia de adrenalina e romance!

 

 

A obra foi finalista do prêmio Goodreads de 2017 na categoria Melhor Ficção Histórica e também foi eleita como um dos melhores livros do ano pela National Public Radio. Além disso, entrou no clube de leitura da fofíssima Reese Witherspoon.