Karnal indica ‘Amor na vitrine’ e ‘Valor Presente’

17/12/2020 83 visualizações

Em sua coluna no jornal O Estado de S. Paulo, o historiador e professor Leandro Karnal indicou uma seleta lista de livros para os sobreviventes até a penúltima semana de 2020. Entre eles, destacamos o “Amor na vitrine”(Ed. BestSeller) da psicanalista Regina Navarro Lins e “Valor presente”(BestBusiness), do empresário Pedro Salomão, fundador da rádio Ibiza. Seja para presentear, ter novas ideias ou fazer companhia, um bom texto aumenta o seu mundo, define Karnal.

Para quem quer discutir sobre o amor e o casamento, “Amor na Vitrine”, é resultado da prática clínica e da pesquisa de Regina Navarro Lins sobre questões que envolvem relacionamentos e sexualidade, baseando-se na História das Mentalidades – o estudo sobre sentimentos e comportamentos coletivos em determinado lugar ou período da humanidade. A obra percorre a dinâmica dos relacionamentos desde a pré-história, passando pela Grécia Antiga, Idade Média, Iluminismo, pelo século XIX, pelo advento da pílula anticoncepcional no século XX, até chegar às novas relações no mundo contemporâneo conectado, no qual as estruturas das relações e os padrões da sexualidade são frequentemente questionados. Esse olhar sobre as relações amorosas contemporâneas, proposto por Regina vai mexer com as convicções tradicionalistas e desafiar os censores invisíveis.

Já para algo que anime, dê esperança, Pedro Salomão traz em “Valor Presente” a estranha capacidade de viver um dia de cada vez. Com prefácio escrito pelo próprio Leandro Karnal, o livro é um convite para construir um futuro feliz e tranquilo, sem pressa, vivendo o presente. Pedro Salomão convida os leitores a refletir sobre a vulnerabilidade coletiva de um mundo em suspenso. Quem sabe, assim, quem tanto pediu para o mundo parar porque queria descer, consiga finalmente desembarcar e começar uma viagem nova rumo ao melhor mundo que existe: o nosso. O autor destaca a importância de fazer bom uso do tempo, e não pedir que ele voe, já que a velocidade é necessária para aprendermos cada dia mais com o novo.