Monja Coen, o sucesso Tudo é rio, box de Gabriel García Márquez e de Albert Camus

10/02/2021 56 visualizações

Tudo é rio (Record), Carla Madeira, 210 páginas, R$ 49,90

Livro de estreia de Carla Madeira, Tudo é rio é uma narrativa madura, precisa e ao mesmo tempo delicada e poética. O romance narra a história do casal Dalva e Venâncio, que tem a vida transformada após uma perda trágica, resultado do ciúme doentio do marido, e de Lucy, a prostituta mais depravada e cobiçada da cidade, que entra no caminho deles, formando um triângulo amoroso. A metáfora do rio se revela por meio da narrativa que flui – ora intensa, ora mais branda – de forma ininterrupta, mas também por meio do suor, da saliva, do sangue, das lágrimas, do sêmen, e Carla faz isso sem ser apelativa, sem sentimentalismo barato, com a habilidade que só os melhores escritores possuem.

 

O bom contágio (BestSeller), Monja Coen, 144 páginas, R$ 34,90

Uma leitura inspiradora para lembrar que, em tempos de adversidade, a alegria pode ser reencontrada e deve ser compartilhada. O bom contágio é uma reflexão necessária e honesta da Monja Coen Roshi sobre um momento tão difícil para a sociedade: a pandemia global causada pela COVID-19. Com escrita fluida e capítulos curtos, Monja Coen apresenta elementos da teoria budista, reforçando a importância da prática e da atitude desperta. Coen se mostra sempre atenta aos pensamentos e à vida ética. Principalmente diante de eventos que possam pôr em xeque nossas amarras mundanas, além da nossa própria fé. Os episódios biográficos e relatos do dia a dia falam sobre a alegria,  a compaixão, a doação. Sem deixar de lado medos e angústias, a Monja Coen aponta o longo – porém recompensador – caminho do bem e da verdade. Além disso, mostra como uma tragédia social pode, sim, ser um momento para avaliarmos seriamente a vida, a sociedade e encontrar uma chance de reconexão e realinhamento.

O homem que brincava com fogo (Verus), Jan Stocklassa, 420 páginas, R$ 74,90

Em O homem que brincava com fogo, Stocklassa recolhe as peças do quebra-cabeça deixadas por Larsson sobre o crime real para seguir a trilha de intrigas, espionagem e conspiração iniciada por um dos escritores de suspense mais famosos do mundo. Juntos, eles resolveram um mistério que ninguém conseguiria desvendar. Apesar de ser famoso internacionalmente por seus vilões fictícios, Larsson tinha um ótimo relacionamento com seus informantes da vida real e conseguiu documentar atividades extremistas em todo o mundo. Durante anos, acumulou evidências que ligavam atos terroristas desses grupos ao que ele chamou de “um dos casos de assassinato mais surpreendentes” que já havia coberto. Porém o arquivo de Larsson foi esquecido até o jornalista Jan Stocklassa ter acesso exclusivo ao projeto secreto do autor.

Paula (Bertrand Brasil), Isabel Allende, 378 páginas, R$ 59,90

Escrito logo depois da morte de sua filha Paula, vítima de uma doença rara, Isabel Allende traz um livro de memórias e o mais comovente e íntimo de todos os seus trabalhos. Em 1991, Paula, ficou gravemente doente e foi internada em um hospital na Espanha. A escritora acompanhou o sofrimento de Paula durante meses, em coma provocado por uma doença rara. Ao lado do leito da filha inconsciente, Isabel fez anotações em um caderno, escrevendo coisas com o intuito de lembrar a Paula quem ela era e de onde vinha, imaginando que Paula, ao despertar, poderia ter perdido a memória. A história que Isabel Allende escreve não é somente a sua: é a de sua família, a de seu país, a da América Latina de meados do século 20. De ancestrais bizarros a lembranças da infância; de peripécias da juventude aos anos de chumbo no Chile em plena ditadura militar. Paula morreu em 6 de dezembro de 1992. No dia 8 de janeiro de 1993, Isabel Allende pegou o material contido nesse caderno, além das 108 cartas que havia trocado com Panchita, sua mãe, no decorrer do ano anterior, releu tudo e foi colocando em ordem cronológica o que havia acontecido. Ao perceber que a morte tinha sido mesmo a única saída para a filha, ela foi organizando em sua cabeça e em seu coração tudo o que havia acontecido. Ao colocar isso no papel, Paula foi ressurgindo viva.

Jogos perigosos (Record), Danielle Steel, 280 páginas, R$ 39,90

Um thriller político, corrupção e traição na Casa Branca, com reviravoltas de tirar o fôlego. Na trama, a correspondente Alix Phillips está acostumada a transitar por zonas de guerras, a cobrir tiroteios e manifestações violentas. Ela e o fiel cinegrafista Ben não medem esforços para conseguir uma boa matéria e levar ao telespectador a melhor cobertura. Os dois estão constantemente colocando a própria vida em risco em nome da verdade. Ela só não tinha ideia de que um escândalo político na Casa Branca envolvendo o atual vice-presidente, Tony Clark, poderia ser o pior pesadelo de sua vida. A influente jornalista se vê então frente a um dilema ético: contar ao mundo que Tony Clark, o nome mais cotado para se tornar o próximo presidente dos Estados Unidos, e o homem mais poderoso do mundo, está envolvido em um esquema de corrupção ou preservar sua vida e a de sua família.

Alfabetização: Leitura do mundo leitura da palavra (Civilização Brasileira), Paulo Freire, 272 páginas, R$ 49,90

Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra tece uma crítica rigorosa e inovadora às propostas tradicionais de alfabetização desenvolvidas em nosso país e nos Estados Unidos, as quais, na maioria das vezes, buscam o aprendizado da língua oficial pelo chamado padrão culto. Considerando a alfabetização um processo que deve ao mesmo tempo resgatar e recriar a experiência vivida pelo alfabetizando, Paulo Freire teoriza e pratica uma alfabetização crítica e libertadora, que instrumentaliza a classe oprimida, para que possa alcançar a reapropriação de sua história pela construção coletiva do conhecimento, reabilitando sua capacidade de intervir nas transformações de seu contexto social.

 

Saúde na terceira idade (BestSeller), Hermógenes, 432 páginas, R$ 59,90

Em Saúde na terceira idade, o professor Hermógenes ensina como envelhecer de forma saudável e com qualidade de vida. Uma leitura leve e descomplicada, mas que não é um texto ingênuo. O autor aproveitou muito da ciência tradicionalmente conhecida, cujo grande foco é o corpo físico, porém sentiu necessidade de extrapolar esses limites. Com o aumento da expectativa de vida no século XX, sobretudo com os avanços da medicina e a industrialização isso se torna imprescindível. Os praticantes da prática do Yoga, são conhecidos pela longevidade e pelo estilo de vida saudável. Mesmo iniciando na terceira idade, sem qualquer dúvida pode-se afirmar que esta prática, aliada a orientações adequadas, pode trazer benefícios para a mente e o corpo rapidamente, além de realização espiritual. A partir de seu estudo prático e teórico, Hermógenes aplicou os princípios, valores e conhecimentos próprios do Yoga, pois o ser humano não é somente um corpo de três dimensões. É muito mais. É bioenergia, emoção, sentimento, pensamento, crenças, espírito e Ser. O livro convida o leitor a ver como esta fase da vida é abençoada e rica e o convoca para a ação. E, ao fim, compreender que todo bom resultado depende somente da sua dedicação e da disciplina que implantar em sua própria vida.

Um enlace entre inimigos (Bertrand Brasil), Lucy Vargas, 476 páginas, R$ 49,90

Um dos personagens mais queridos de Um acordo de cavalheiros finalmente tem sua história revelada: um romance mais quente que o chá das cinco. Nathaniel Mowbray é o último duque de uma linhagem amaldiçoada. Um homem de olhos prateados com muitas vidas em uma cuja fama de vilão esconde a terrível culpa que carrega. Jamais cruze o seu caminho. Isabelle Bradford é bela como uma deusa. Uma debutante que rouba corações e joias. Mentirosa e ardilosa, sua missão é seduzir e derrubar o último duque. Ela é uma Hitton. Ele é um Hayward. Não há rixas familiares que se comparem em fama, sangue e paixão. Quando matar e trair por amor é o esperado, todos são suspeitos. Não há mocinhos nessa história. Os Hitton e os Hayward têm uma última batalha pela frente. Por suas vidas e contra a paixão que os domina. No fim, basta saber até onde iriam um pelo outro ou contra o outro. Uma coisa é certa: alguém terá de pagar o preço.

Memória de minhas putas tristes (Record), Gabriel Garcia Márquez, 128 páginas, R$ 49,90

O último romance de García Máquez, Memória de minhas putas tristes ganha capa nova. Neste romance nostálgico, cujo narrador, do qual não sabemos o nome, resolver se dar de presente uma noite com uma virgem para comemorar seus 90 anos. Tudo que sabemos sobre ele é que trabalha para um jornal como crítico de música e que passou a vida em meio a prostitutas. Podemos dizer que é um homem culto e que nunca pensou em se casar. Ele inclusive abandonou a noiva no dia do casamento. Sabemos também que o apetite sexual desse nonagenário é impressionante e que ele faz sexo com frequência. Para realizar o sonho sexual, o narrador recorre a uma velha conhecida, uma cafetina aposentada, que já havia intermediado negócios para ele no passado, e pede a ela que organize esse encontro. As dificuldades de atender ao pedido ficam claras desde o início. Mas ele vai conseguir o que quer, não importa o quanto custe.

Box Gabriel García Márquez 

Coletânea dos três maiores livros – Cem anos de solidão, Crônica de uma morte anunciada O amor nos tempos do cólera, de Gabriel García Márquez, um dos mais importantes autores da América Latina e grande mestre do realismo mágico. Esta edição do box conta com um livreto intitulado  García Márquez em estado puro, com texto do jornalista e tradutor de Cem anos de solidão, Eric Nepomuceno, além de fotos de Gabo.

Box Camus

Coletânea de luxo de quatro livros indispensáveis da obra de Albert Camus – um dos autores mais importantes do século XX. O box reúne O estrangeiro, A peste, O mito de Sísifo e A queda e com um livreto escrito pelo jornalista e crítico literário Manuel da Costa Pinto, apresentando o texto inédito Um romance sempre é uma filosofia posta em imagens e fotos de Albert Camus.

É inegável a importância de Albert Camus na produção literária do século XX no Ocidente, um autor que dedicou a vida a explorar o absurdo da condição humana. E essa edição conjunta é uma celebração de sua obra, que reúne seu primeiro ensaio filosófico – O mito de Sísifo – e os três romances que Camus publicou em vida – O estrangeiro, A peste e A queda. Segundo Manuel da Costa Pinto, “Camus sempre insistiu em que, apesar da heterogeneidade formal e estilística das suas obras, todas giravam em torno de alguns temas obsessivamente revisitados a cada momento criativo”.

e-Book: A desilusão do espião (Bertrand Brasil), Lucy Vargas, 266 páginas, R$ 29,90

A origem da amargura do duque de Hayward em um e-book para ler de uma só vez. Você tem uma nova missão. Num mundo de ilusões e traições, ficar cego de amor pode mudar seu destino ou custar sua vida. Em meio à guerra contra a França e as rebeliões internas do país, ser um espião inglês é um negócio fatal. Após 10 anos nessa vida, Nathaniel não sabe como continua vivo. E ele não esperava ter de treinar uma informante e acabar ganhando uma parceira capaz de virar seu mundo do avesso. Meredith não queria esse tipo de vida. Mas acabou afundada até o pescoço em tramas internacionais que envolvem sua família. Percorrer três países em guerra e assumir várias identidades acompanhada por um homem enervante, atraente e perigoso é sua última opção, mas, por fim, se torna sua melhor chance. Quando as lealdades forem testadas, eles terão de provar de que lado estão e o que estão dispostos a sacrificar um pelo outro. Ou o em nome de seus trabalhos. Você é capaz de ir até o fim dessa missão?

Confira mais em nosso Instagram!