O milagre da manhã para famílias, poesia de Carpinejar, Márcia Tiburi e mais

18/11/2020 26 visualizações

O milagre da manhã para famílias, de Hal Elrod 

Pronto para assumir a liderança em sua família e alcançar sua visão de uma vida familiar ideal? O milagre da manhã, best-seller de Hal Elrod, tem ajudado a redefinir as manhãs e as vidas de milhões de leitores desde 2012. Desde então, carreiras foram alavancadas, objetivos cumpridos e sonhos realizados. Tudo isso graças aos Salvadores de Vida: seis práticas diárias que impulsionam seus esforços para criar mudanças positivas de vida. Em O milagre da manhã para famílias: Como despertar o que há de melhor em sua família (Ed. BestSeller, R$ 39,90, 266 págs), Hal Elrod une seu método inovador ao conhecimento de Honorée Corder e de Mike e Lindsay McCarthy, dois profissionais bem-sucedidos que também decidiram embarcar na aventura de liderar uma família. Além de conhecer uma nova visão sobre os Salvadores de Vida, o leitor também será apresentado a dois conceitos que ajudam a aprofundar o relacionamento consigo mesmo e a construir um ambiente familiar agradável para todos. Um nível de harmonia inédito envolvendo os filhos e mostrando a eles importantes habilidades para a vida que não são ensinadas na escola.

Biografia de uma árvore, de Fabrício Carpinejar

Uma poesia incomum no panorama da literatura brasileira: assim é o quarto livro de Fabrício Carpinejar, que completa o ciclo autoral iniciado com As Solas do Sol (1998). Em Biografia de uma árvore (Ed. Bertrand, R$ 24,90, 112 págs), o autor se permite a contorção de ser vegetal para se experimentar em outra dimensão, fora do humano. Em Terceira sede, já se permitira a contorção cronológica de se projetar no tempo e se experimentar tão velho quanto o futuro de si mesmo. Mas para além dessas metamorfoses o que sua obra sobretudo quer é ousar a mais ousada de todas as experiências, a da linguagem. Não apenas a praticada como estética, tão frequentemente oca de sementes. A cada livro, através das interrogações que lança à vida em seu entorno e à parte oculta dela em nós: a sonhada, a voo sem asas, a agoniada transparente, a semilouca dos véus nos recobrindo, Fabrício vai se chegando à semeadura do grão de onde há de nascer ainda, um dia, um belo dia, aquilo que de mais belo nos promete em bem raras cintilações, aqui e ali, a literatura. Esse aquilo que o humano espera desde que é humano sobre a terra: a literatura praticada como ontologia, a palavra praticada como vida.

Como derrotar o turbotecnomachonazifascismo, de Márcia Tiburi

No momento em que a desinformação e a lógica do desnorteio correm soltas como metodologias políticas, “turbotecnomachonazifascismo” é um nome para o fenômeno político inominável que nos ataca. O ódio é o combustível que alimenta essa máquina movida à tração humana. O êxtase fascista é a droga do momento ao alcance de quem queira participar. Como derrotar o turbotecnomachonazifascismo (Ed. Record, R$ 49,90, 196 págs) busca dar nome ao inominável tendo em vista que qualquer projeto de transformação exige a compreensão do fenômeno a ser superado. Transformar o atual estado de violência e injustiça é o seu objetivo prático. Em nossa época, já não experimentamos apenas mais um histórico mal estar: retrocedemos à barbárie. No Brasil, temos os povos ameríndios e as populações afrodescendentes como testemunhas da sobrevivência de violências nunca superadas. As violências racistas se renovam na fase atual do capitalismo. Sob a forma neoliberal, o capitalismo se impõe a qualquer custo e atinge uma fase alucinada, ilimitada, sem verniz e sem escrúpulos. Fundamentalista e obscurantista, marcado pelo ódio mais extremo às minorias políticas e aos direitos da humanidade, o autoritarismo se renova e se encaminha para a dominação total.

Gente feliz não enche o saco, de Erika Linhares

Em Gente feliz não enche o saco (Ed. Best Business, R$ 34,90, 140 págs), Erika Linhares quer ensinar a desenvolver soft skills — habilidades sociais e emocionais de relacionamento e comportamento — que vão ajudar a ser mais feliz e bem-sucedido no trabalho, tornando-se mais leve, mais prático, mais aberto. Sem mimimi. Também quer ensinar os gestores a buscarem e estimularem a mudança de comportamento em si mesmos e nos seus colaboradores, para aumentar os seus resultados. Afinal, ninguém realiza nada sozinho. Essa lição ela aprendeu em casa, quando viu a família se transformar em um time para superar as adversidades. Não é coincidência que muitos empresários bem-sucedidos tenham em sua trajetória histórias de dificuldades e sofrimento. A dor ensina. Mas será que você precisa mesmo esperar que o sofrimento chegue para tomar uma atitude e mudar a sua vida? Precisa esperar que alguém da sua família fique doente, que o seu chefe o demita, que tudo dê errado? Não, não precisa. Você pode, agora, aprender o que precisa para mudar a sua vida e se tornar mais próspero, a partir dos exemplos ao seu redor.

Quer casar comigo todos os dias?, de Pedro Chagas Freitas 

Autor do best seller Prometo perder, Pedro Chagas Freitas, traz em Quer casar comigo todos os dias? (Verus Editora, R$ 39,90, 280 págs) um romance a duas vozes, emocionante, sensual, doce e tremendamente intenso. Como uma montanha-russa emocional, ao longo da trama vamos acessando os altos e baixos de uma relação a dois. A forma livre como é escrita nos permite sentir os personagens e vivenciar em primeira pessoa cada parte desta história. “Todos os dias prometiam que seria o último dia. Percorriam o corpo em busca do sabor final, do sabor que permanecesse por dentro da boca. Recusavam perder tempo com talvez, com mas, com por quê. Só o prazer era urgente. Só viver era urgente. Todos os dias prometiam que seria o último dia. E era só assim que todos os dias se viviam com se fosse o primeiro dia.”

 

Povo, poder e lucro: Capitalismo progressista para uma era de descontentamento, de Joseph E. Stiglitz 

Ensaio definitivo sobre as fundações do capitalismo progressista e os perigos previsíveis do fundamentalismo de livre mercado, Joseph E. Stiglitz mostra que as soluções para a economia são, muitas vezes, bem óbvias. Em Povo, poder e lucro: Capitalismo progressista para uma era de descontentamento (Ed. Record, R$ 89,90,  406 págs), o vencedor do Prêmio Nobel de Economia Joseph E. Stiglitz identifica quais são as verdadeiras fontes de riqueza e de aumento na qualidade de vida das pessoas, baseado em estudos e avanços nas áreas de ciência e tecnologia. Além disso, mostra que ataques ao Poder Judiciário, às universidades e à mídia são ameaças às mesmas instituições que desde sempre foram a base da economia e da democracia. Povo, poder e lucro prova que é preciso explorar os benefícios dos mercados e restringir os excessos, garantindo que os mercados trabalhem para nós, e não o contrário. Se os cidadãos se comprometerem com uma agenda de mudança, pode não ser tarde demais para criar um capitalismo progressista capaz de reconstruir a prosperidade

Seu horóscopo pessoal para 2021, de Joseph Polansky

Em seu 25º ano de publicação consecutiva no Brasil, chegaram as previsões para 2021 dos doze signos feitas pelo renomado astrólogo Joseph Polansky. No início de cada signo, há um perfil de personalidade minucioso seguido de orientações específicas, indicando as tendências astrais mensais, além da direção mais adequada para cada trânsito astrológico. No guia, Polansky esboça os traços gerais do caráter e as tendências básicas da vida, com o intuito de ensinar a fazer uso das influências planetárias para aproveitar ao máximo o novo ano.