Por que Factfulness está na cabeceira do Bial

30/05/2020 241 visualizações

Em Factfulness: O hábito libertador de só ter opiniões baseada em fatos, o médico sueco Hans Rosling apresenta indicadores que comprovam: o mundo está se tornando um lugar mais próspero nas últimas décadas. Sua classificação dos países dividida em quatro níveis de renda fez com que o Banco Mundial abandonasse as nomenclaturas “país desenvolvido” e “país em desenvolvimento”.

Que porcentagem da população mundial vive na pobreza? Qual é o número de crianças vacinadas no mundo hoje? Quantas meninas terminam a escola? Quando confrontadas com perguntas simples a respeito das tendências globais, as pessoas sistematicamente dão respostas incorretas. Isso acontece quando nos preocupamos com tudo o tempo todo em vez de compreendermos as coisas como realmente são, e perdemos a capacidade de nos concentrar nas verdadeiras ameaças. Tomando emprestado o conceito de mindfulness (o ato de ter atenção plena nas experiências, atividades e sensações do presente), os autores propõem a ideia de Factfulness: o hábito libertador de só ter opiniões baseadas em fatos. Inspirador, bem-humorado e cheio de histórias emocionantes, este é um livro urgente e essencial que mudará a maneira como você vê o mundo e o capacitará a responder melhor às crises e oportunidades do futuro.

Especialista em saúde global, o médico sueco Hans Rosling, adotou como missão de vida provar por A + B que, nas últimas décadas, o mundo está se tornando um lugar melhor para se viver – e não apenas em seu país-natal que tem um dos melhores índices de desenvolvimento humano. Começou sua tarefa com palestras para variadas audiências ao redor do mundo, nas quais apresentava dados oficiais sobre saúde, educação e acesso a serviços. Com a rara exceção do aquecimento global, todas as outras estatísticas revelam melhorias. O resultado de décadas de estudos está em Factfulness: O hábito libertador de só ter opiniões baseada em fatos (Editora Record), livro que conquistou fãs como o fundador da Microsoft Bill Gates e o jornalista e apresentador Pedro Bial.

Hans Rosling contraria o senso comum e combate o que ele chama de visão de mundo superdramática com informações apresentadas de forma didática e atraente, em infográficos inovadores desenvolvidos por uma ferramenta criada por seu filho Ola Rosling e sua nora Anna Rosling Rönnlund. Factfulness traz um questionário para testar os conhecimentos gerais do leitor sobre o mundo e no fim é possível comparar seu índice de acertos com as respostas de diferentes audiências.

Hans morreu em 2017 – não foi numa demonstração do número com espadas, mas em decorrência de um câncer no pâncreas. Desde então, seu filho Ola, co-autor do livro, mantém viva a missão paterna. A ferramenta por ele desenvolvida, a Trendalyzer, foi adquirida em 2007 pelo Google e, desde então, Ola está à frente da área de dados públicos da gigante de buscas. Os gráficos-bolha gerados pela Trendalyzer ilustram o verso da capa de Factfulness mostrando a posição dos países em relação à expectativa de vida e à renda. É possível concluir rapidamente que o Brasil, tanto num índice quanto no outro, está atrás de Cuba, Argentina, México, Uruguai, Panamá, Chile e Costa Rica, apenas para citar outras nações latino-americanas. O Brasil aparece ainda com destaque no trecho sobre desigualdade, apresentando dois gráficos. Um deles mostra uma comparação entre a renda total na mão dos 10% mais ricos em 1989 e em 2015. O percentual caiu de metade para 41%. A quantidade de habitantes vivendo em cada um dos quatro níveis de renda adotados pelo Banco Mundial.