A cidade assassinada

Autor(es): Antonio Callado
Editora: José Olympio
  • Brochura R$49,90

R$49,90

Lançamento: 29-05-2022
Compartilhe:


Sinopse

A cidade assassinada, primeiro texto de dramaturgia de Antonio Callado, nasceu como homenagem aos 400 anos de cidade de São Paulo e hoje é um clássico da literatura brasileira.

 

Escrita e encenada na década de 1950, A cidade assassinada transporta o público para o Brasil de 1500 em três atos, junto de personagens históricos e lendários, como João Ramalho e padre José de Anchieta.

Com um texto riquíssimo, recheado de camadas históricas e de intertextualidades, Callado apresenta em A cidade assassinada, suas preocupações políticas – que aparecerão em obras posteriores, como no seu romance Quarup -, como a condição indígena, a colonização religiosa, a formação do povo brasileiro e a imposição de uma lógica de progresso, que vinha a todo vapor no Brasil de Juscelino Kubitschek.

Na peça, a cidade de Santo André da Borda do Campo está ameaçada pelos desejos do governo-geral em transferir o pelourinho (símbolo da presença civilizatória) para a vila de São Paulo. Junto a isso, um conflito de interesses relação ao trato dos indígenas da região se desenha entre a violência física dos primeiros bandeirantes e a violência simbólica dos jesuítas. A guerra entre os homens se aproxima, mas não sem antes considerar a ação decisiva de Rosa Bernarda, mulher e mameluca – personagem feminina forte, como é marca no teatro de Callado.

Ao mesclar memória histórica e ficção, textos clássicos como Auto de Anchieta, Iracema e Cantares de Salomão, o autor, imortal da Academia Brasileira de Letras, é capaz de fazer emergir a própria identidade brasileira. Na peça são apresentados conflitos políticos, que mesmo representados nos interesses entre colônia e metrópole são até hoje perceptíveis, e conflitos amorosos, incluindo a batalha ética entre amor e dever. São discutidas também a própria condição e missão da arte e a busca pela liberdade – temas particulares e gerais, que são capazes de transpor A cidade assassinada para o rol das grandes obras de alcance universal.

Sobre o autor

Antonio Callado

Nascido em Niterói, Antônio Carlos Callado (1917-1997) começou a escrever em jornais ainda jovem. Apesar de formado em Direito, nunca exerceu a profissão. Trabalhou em jornais cariocas como O Globo, Jornal do brasil e Correio da Manhã, onde foi redator-chefe entre 1954-1960. Foi responsável por chefiar a equipe que elaborou a primeira edição da Enciclopédia Barsa, publicada em 1963. Em 1974, foi professor nas Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e Columbia, nos Estados Unidos. Em 1975, largou o jornalismo para se dedicar à literatura, onde havia estreado em 1951 escrevendo peças teatrais. Contrário ao regime militar, foi preso duas vezes durante o período pelo lado políticos de seus romances. Em 1994, foi admitido para a cadeira 8 da Academia Brasileira de Letras.

Características

  • ISBN: 978-85-03013-93-2
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 18cm
  • Largura: 12cm
  • Profundidade: 1.5cm
  • Lançamento: 29-05-2022
  • Páginas: 192