A duração do dia

Autor(es): Adélia Prado
Editora: Record
  • Brochura R$49,90

R$49,90

185 em estoque

Compartilhe:

Sinopse

Prêmio APCA: Melhor livro de 2010 na categoria Poesia Adélia Prado — premiadíssima autora de Bagagem e Filandras, e com mais de 500 mil exemplares vendidos de sua obra — é uma das mais aclamadas escritoras da literatura brasileira, ao lado de nomes como Nélida Piñon, Lívia Garcia-Roza e Lya Luft. Com uma obra que inclui prosa, poesia e, recentemente, a estréia na literatura infantil com Quando eu era pequena, Adélia encanta mais uma vez em A DURAÇÂO DO DIA pela linguagem ao mesmo tempo poética e impactante. Depois de 10 anos sem publicar um livro de poesia, Adélia retorna ao gênero que a consagrou. E confirma porque é uma das maiores poetisas do país. A DURAÇÃO DO DIA expõe uma poetisa sutil e sedutora, em versos que falam de amor, desejos, frustrações, sonhos. Uma sinuosa viagem pelos caminhos do coração. Com um estilo que contrasta a leveza das palavras com a força dos sentimentos, seu olhar único sobre as coisas aparentemente desimportantes do cotidiano revela a perplexidade e encantamento da vida. Numa narrativa extremamente pessoal, Adélia volta a temas recorrentes em sua literatura: a vida provinciana, a religiosidade, as cores do campo, num espelho de sua própria experiência. Muitas vezes, Adélia opta por expor conflitos entre o sagrado e o profano, observados a partir de coisas simples da natureza ou até mesmo da leitura de um texto religioso. O livro traz textos repletos de emoções que, para a autora, são inseparáveis da criação, ainda que nascidas, muitas vezes, do sofrimento. Apesar de muitos e variados, abordando temas tão diversos quanto o amor carnal, o amor divino, a vocação do poeta, as cores e as dores da vida, os textos de A DURAÇÃO DO DIA possuem uma unidade, uma fala peculiar. Uma viagem literária de 24h, mas que permanece eterna em cada página.

Sobre o autor

Adélia Prado

Adélia Prado nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935, onde reside até hoje. Sua formação é em Magistério e Filosofia. Em 1976, publicou Bagagem. O ano de 1978 marca o lançamento de O coração disparado, que é agraciado com o Prêmio Jabuti. Estréia em prosa no ano seguinte, com Solte os cachorros, e logo depois publica Cacos para um vitral. Em 1981 lança Terra de Santa Cruz. Os componentes da banda é publicado em 1984 e, a seguir, O pelicano e A faca no peito. Em 1991 é publicada sua Poesia reunida. Em 1994, após anos de silêncio poético, ressurge com o livro O homem da mão seca. Em 1999 são lançados Manuscritos de Felipa, Oráculos de maio e sua Prosa reunida. Em agosto de 2000, pelo selo Karmim, grava o CD O tom de Adélia Prado, onde lê poemas do livro Oráculos de maio. Em novembro de 2001, lança Filandras, volume com 43 crônicas.

Características

  • ISBN: 978-85-01-09110-9
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 21cm
  • Largura: 14cm
  • Profundidade: 0.9cm
  • Lançamento: 30-07-2010
  • Páginas: 112
Gêneros: