Oferta!
 

O bem-amado

Autor(es): Dias Gomes
  • Brochura R$54,90 R$52,10

R$54,90 R$52,10

Em estoque

Compartilhe:


Sinopse

O Bem-Amado é uma das mais famosas farsas sociopolítico-patológicas.

O autor, responsável por retumbantes êxitos teatrais e cuja obra tem por denominador comum a contestação política e social, fornece ao leitor um irresistível retrato dos costumes da vida de um lugarejo do interior baiano, ordeiro e pacífico, para inauguração de um cemitério – plataforma política de seu ambicioso prefeito, Odorico Paraguaçu. O problema: ele precisava providenciar um morto.

Odorico, o Bem-Amado, é a encarnação, em escala provinciana, de personagens bem mais sinistros da vida política latino-americana, ditadores, caudilhos, demagogos de todos os tipos, e cujo perfil ora cômico, ora patético, a rica imaginação do autor delineia de forma precisa e contundente.

Naturalmente, o protagonista é também um ser humano em crise. O vácuo entre suas pretensões de grandeza, que comicamente se revelam na empolada linguagem, e a triste realidade de uma região, para ele frustrantemente subdesenvolvida, acentuam as contradições de sua existência e da própria política que ele representa e personifica.

Odorico, o político, o doutor, o tribuno, Odorico, o Grande, o Pacificador, é a engraçada e irônica versão da realidade política brasileira e latino-americana como os Somozas, os Pinochets, os Batistas, os Videlas e outros mais bem-conhecidos do público brasileiro, uns mais, outros menos “simpáticos”, mas todos com o mesmo objetivo: inflar o próprio ego à custa do povo.

O Bem-Amado, sátira cristalina e contundente, é outra manifestação do criativo talento do mestre do teatro de contestação política e social que é Dias Gomes, de quem já tivemos peças igualmente aclamadas, como O Rei de Ramos, O Santo Inquérito e O Pagador de Promessas.

Sobre o autor

Foto de Dias Gomes
Dias Gomes

Alfredo de Freitas Dias Gomes nasceu em 1922 e escreveu diversas obras para o teatro, literatura, cinema e televisão. Entre suas peças teatrais, a mais célebre é O pagador de promessas (1959). Adaptada para o cinema em 1962, por Anselmo Duarte, conquistou vários prêmios internacionais, com destaque para a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 11 de abril de 1991. Morreu num acidente automobilístico em 18 de maio de 1999.

Características

  • ISBN: 978-85-286-1479-4
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 23cm
  • Largura: 15.6cm
  • Profundidade: 0.7cm
  • Lançamento: 12-08-2014
  • Páginas: 126