Oferta!
 

Sucupira: ame-a ou deixe-a

Venturas e desventuras de Zeca Diabo e sua gente na terra de Odorico, o Bem-Amado

Autor(es): Dias Gomes
  • Brochura R$54,90 R$52,10

R$54,90 R$52,10

Em estoque

Compartilhe:


Sinopse

Dias Gomes desentranhou da peça O bem-amado uma novela de televisão de amplo êxito e, a seguir, um seriado de TV, também de vasta repercussão popular. Agora, desta gesta eletrônica, selecionou sete divertidíssimos episódios que narram as “venturas e desventuras de Zeca Diabo e sua gente nas terras de Odorico Paraguaçu”.

Sucupira é o Brasil visto pelo lado contrário do binóculo. Não para amesquinhar a visão, mas, apenas, para transformar um imenso universo num minutinho, num microcosmo, onde cabem, reduzidas, miniaturizadas, mas nem por isso escamoteadas, as mazelas, imposturas, maroteiras, malandragens, enfim, a comédia do mundo maior: este país de propalado progresso e escondidas misérias.

Nas alegres histórias deste livro, está um território antes verdadeiro do que imaginário. É que Dias Gomes parte de fatos, de acontecimentos, para, em seguida, filtrando-os através da mente criadora, transpô-los para o plano da ficção.

E o faz de tal modo que se chega a pensar que esses mesmos fatos e acontecimento sempre foram ficções. Nada mais do que toscas ficções à espera de quem lhes infundisse dignidade artística. Coisa que o teatrólogo baiano realiza com esplêndida competência.

O real e o imaginário entram em estreito conúbio, e Sucupira mais a sua gente passam a pertencer à literatura.

Dias Gomes cultiva nas suas narrativas desenvolto humor. Mas ao feitio brasileiro. Isto é, de forma folgazã, de gozação e galhofa. Para, através do ridículo e do farsesco, dessacralizar mitos, posturas e comportamentos.

– Mário da Silva Brito

Sobre o autor

Foto de Dias Gomes
Dias Gomes

Alfredo de Freitas Dias Gomes nasceu em 1922 e escreveu diversas obras para o teatro, literatura, cinema e televisão. Entre suas peças teatrais, a mais célebre é O pagador de promessas (1959). Adaptada para o cinema em 1962, por Anselmo Duarte, conquistou vários prêmios internacionais, com destaque para a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 11 de abril de 1991. Morreu num acidente automobilístico em 18 de maio de 1999.

Características

  • ISBN: 978-85-286-1526-5
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 23cm
  • Largura: 15.6cm
  • Profundidade: 0.9cm
  • Lançamento: 04-02-2019
  • Páginas: 168