Oferta!
 

UM CÃO UIVANDO PARA A LUA

Autor(es): Antônio Torres
Editora: Record
Selecione o formato

R$49,90 R$39,90

Fora de estoque

Fora de estoque

Compartilhe:

Sinopse

 

Foi com UM CÃO UIVANDO PARA A LUA que Antônio Torres estreou na literatura, em 1972, sendo imediatamente aclamado como “um talento explosivo” (Leo Gilson Ribeiro, revista Veja), “um senhor ficcionista”, segundo Jorge Amado, e “a estréia mais significativa” daquele ano (Hélio Pólvora, Jornal do Brasil). UM CÃO UIVANDO PARA A LUA fez mais do que surpreender os meios literários: foi também um sucesso de público. A crítica o recebeu com um entusiasmo raro para um estreante, destacando a coragem do seu depoimento e a força da sua linguagem, cuja “sadia agressividade” servia de forma adequada à contundente mensagem da trama. Lançado por uma pequena editora chamada Gernasa, UM CÃO UIVANDO PARA A LUA viria a causar um grande impacto. Foi saudado pelo jornal O Estado de S. Paulo como “a revelação do ano”. Para rememorar esta “estréia tão feliz”, nas palavras de Aguinaldo Silva, no extinto Opinião, vejamos o que disse O Globo deste livro, em 26 de novembro de 1972: “Ninguém sabia quem era Antônio Torres, embora este seja uma das maiores revelações de escritor surgidas no Brasil ultimamente. Este romance de estréia tem uma força surpreendente e atinge em certos trechos a altura da melhor ficção nacional. A linguagem realista, seca e coloquial, e a riqueza de situações fazem esperar desse autor obras ainda mais importantes.” O que se confirmou. Hoje, com mais de uma dezena de títulos publicados, Antônio Torres figura entre os escritores brasileiros mais respeitados e mais lidos, com muitos prêmios, sucessivas edições, traduções em vários países e condecorado pelo governo francês como Chevalier des Arts et des Lettres. Mas tudo começou mesmo foi com este UM CÃO UIVANDO PARA A LUA, há trinta anos, “a feliz estréia”, “o uivo de uma geração”, que a Record relança agora em edição comemorativa. Antônio Torres nasceu em 13 de setembro de 1940 em Junco, um povoado no interior da Bahia. Estudou em Alagoinhas e Salvador, onde ingressou no Jornal da Bahia. Aos 20 anos mudou-se para São Paulo, onde foi repórter e chefe de reportagem do caderno de esportes do jornal Última Hora. Trocou o jornalismo pela publicidade, trabalhando como redator publicitário em grandes agências brasileiras. Estreou na literatura em 1972, com o romance Um cão uivando para a lua. Em 1976, publicou Essa terra, seu maior sucesso, que já foi traduzido para o francês, espanhol, italiano, alemão, hebraico e holandês. Também é autor de Balada da infância perdida, Os homens de pés redondos, Carta ao bispo, Adeus, velho, O centro das nossas desatenções, O cachorro e o lobo, O circo no Brasil, Meninos, eu conto e Meu querido canibal. Em 1998, foi condecorado pelo governo francês como Chevalier des Arts et des Lettres. Em 1987, recebeu o prêmio Romance do Ano do Pen Clube do Brasil por Balada da infância perdida e em 1997 o prêmio hors concours de Romance da União Brasileira de Escritores por O cachorro e o lobo. Meu querido canibal lhe rendeu o Prêmio Zaffari & Bourbon da Jornada Literária de Passo Fundo, em 2001. “Antônio Torres, longe de esquecer suas origens e sua terra, a elas retorna por meio da ficção, inserindo-as na geografia literária.” – Jornal da Tarde “O trabalho de Torres é um desafio; oferece uma maravilhosa oportunidade para aprender sobre pessoas e culturas que nos compreendem mais do que nós a elas.” – Los Angeles Times Book Review “Não há no trabalho de Torres nenhum rastro de pieguice. Ao contrário, toda emoção é burilada com bom humor e uma dose de elegante ironia.” – Revista Isto É “O livro é excelente. Gostei muito. Antônio Torres é um senhor ficcionista e tenho certeza que irá muito longe.” – Jorge Amado “Um cão uivando para a lua é um desses livros raros, que não se consegue deixar de lado antes do fim. Violento, envolvente e, sempre, terrivelmente sincero.” – Caio Fernando Abreu “Trata-se de uma experiência muito bem-sucedida, fundindo uma literatura urbana ultra-sofisticada com um regionalismo inteiramente despojado dos cacoetes tradicionais do gênero: um grande livro.” – Marcos Santarrita

Sobre o autor

Antônio Torres
Antônio Torres

Antônio Torres nasceu em 13 de setembro de 1940 em Junco, um povoado no interior da Bahia. Estudou em Alagoinhas e Salvador, onde ingressou no Jornal da Bahia. Aos 20 anos mudou-se para São Paulo, onde foi repórter e chefe de reportagem do caderno de esportes do jornal Última Hora. Trocou o jornalismo pela publicidade, trabalhando como redator publicitário em grandes agências brasileiras. Estreou na literatura em 1972,com o romance Um cão uivando para a lua. Em 1976, publicou Essa terra, seu maior sucesso, que já foi traduzido para o francês, espanhol, italiano, alemão, hebraico e holandês. Também é autor de Balada da infância perdida, Os homens de pés redondos, Carta ao bispo, Adeus, velho, O centro das nossas desatenções, O cachorro e o lobo, O circo no Brasil, Meninos, eu conto e Meu querido canibal. Em 1998, foi condecorado pelo governo francês com o Chevalier des Arts et des Lettres. Em 1987, recebeu o prêmio Romance do Ano do Pen Clube do Brasil por Balada da infância perdida e em 1997 o prêmio hors concours de Romance da União Brasileira de Escritores por O cachorro e o lobo. Em 2000, recebeu o prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra. Meu querido canibal lhe rendeu o Prêmio Zaffari & Bourbon da Jornada Literária de Passo Fundo, em 2001.

Características

  • ISBN: 978-85-01-06534-6
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 21cm
  • Largura: 14cm
  • Profundidade: 1.4cm
  • Lançamento: 07-11-2002
  • Páginas: 192
Gêneros: