Oferta!
 

Professora, sim; tia, não

Cartas a quem ousa ensinar

Autor(es): Paulo Freire
Editora: Paz & Terra
  • Brochura R$49,90 R$42,40

R$49,90 R$42,40

Compartilhe:

Sinopse

Educadores são responsaveis pela transformação social

Em Professora, sim; tia, não, o maior educador brasileiro denuncia que a troca da palavra “professora” por “tia” para designar “pessoa que ensina” é uma armadilha ideológica. Nas dez cartas que compõem o livro, o autor analisa as qualidades verdadeiras e autênticas das virtudes éticas que educadores progressistas precisam ter e praticar, se querem ser agentes de transformação social. Professora, sim; tia, não reúne ainda apresentação de Ana Maria Araújo Freire e prefácio de Jefferson Idelfonso da Silva.

Em 1963, em Angicos, interior do Rio Grande do Norte, 300 trabalhadores rurais foram alfabetizados em apenas 40 horas, pelo método proposto por Paulo Freire. Esse foi o resultado do projeto-piloto do que seria o Programa Nacional de Alfabetização do governo de João Goulart, presidente que viria a ser deposto em março de 1964. Em outubro desse mesmo ano, Freire deixou o Brasil para proteger a própria vida. Apenas voltou a visitar o país em 1979, com a abertura democrática.

Ao longo de sua história, Paulo Freire recebeu mais de cem títulos de doutor honoris causa, de diversas universidades nacionais e estrangeiras, além de inúmeros prêmios, como Educação para a Paz, da Unesco, e Ordem do Mérito Cultural, do governo brasileiro. Integra o International Adult and Continuing Education Hall of Fame e o Reading Hall of Fame.

“Não é possível que continuemos nas vésperas da chegada do novo milênio, com déficits tão alarmantes em nossa educação – o quantitativo e o qualitativo. Com milhares de professores chamados leigos, até em áreas do Sul do país, ganhando às vezes menos da metade de um salário mínimo. Gente heroica, dadivosa, amorosa, inteligente, mas desprezada pelas oligarquias nacionais.”

Sobre o autor

Paulo Freire

Paulo Freire (Recife, 1921–São Paulo, 1997) é Patrono da Educação Brasileira. É um dos brasileiros mais célebres e um dos filósofos do século XX mais lidos do mundo, segundo levantamento do Massachusetts Institute of Technology. Escreveu dezenas de livros, entre eles, Pedagogia do oprimido, a terceira obra de ciências sociais e humanas mais citada no mundo, de acordo com a London School of Economics.
Em 1963, em Angicos, interior do Rio Grande do Norte, trezentos trabalhadores rurais foram alfabetizados em apenas 40 horas, pelo método proposto por Paulo Freire. Esse foi o resultado do projeto-piloto do que seria o Programa Nacional de Alfabetização do governo de João Goulart, presidente que viria a ser deposto em março de 1964. Em outubro desse mesmo ano, Freire deixou o Brasil para proteger a própria vida. Apenas voltou a visitar o país em 1979, com a abertura democrática.
Ao longo de sua história, Paulo Freire recebeu mais de cem títulos de doutor honoris causa, de diversas universidades nacionais e estrangeiras, além de inúmeros prêmios, como Educação para a Paz, da Unesco, e Ordem do Mérito Cultural, do governo brasileiro. Integra o International Adult and Continuing Education Hall of Fame e o Reading Hall of Fame.

Características

  • ISBN: 978-85-7753-261-2
  • Formato: Brochura
  • Suporte: Texto
  • Altura: 20.8cm
  • Largura: 13.6cm
  • Profundidade: 1.1cm
  • Lançamento: 31-12-2012
  • Páginas: 192